Algas não oferecem riscos aos banhistas

Algas não oferecem riscos aos banhistas
 
O Instituto Estadual do Ambiente, por meio da Gerência de Qualidade Ambiental (Inea/ Gequam) tem constatado com freqüência, o aparecimento de grande quantidade de fragmentos de algas vermelhas ou macroalgas nas praias. Sobretudo, nas localizadas próximas de costões rochosos. Os técnicos do Instituto, advertem, no entanto, que as espécies identificadas não representam qualquer risco para os banhistas.
 
Nas amostras das águas coletadas semanalmente pelos agentes foram identificadas florações das Divisões Rhodophyta – espécies Heterosiphonia crispella e Aglaothamnion sp. – e Chlorohyta, da espécie Ulva fasciata. Macroalgas como as que estão sendo observadas, principalmente, nas praias de Copacabana, Leblon, Leme e Grumari, são típicas deste tipo de bioma e é muito comum se desprenderem das pedras durante o verão. Os técnicos do Inea reiteram que a presença dessas algas não altera as condições de balneabilidade das praias, portanto, não implicam risco à saúde.

Fonte: Inea

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.