Ampliada reciclagem de óleo de cozinha

Ampliada reciclagem de óleo de cozinha
 
Quatro órgãos e instituições federais instalados próximos ao edifício-sede da Secretaria do Ambiente e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), na Zona Portuária, Centro do Rio, aderiram, nesta terça-feira (14/9), ao Programa de Reaproveitamento de Óleo Vegetal (Prove), de coleta de óleo de cozinha usado. A ideia da parceria é estimular o descarte adequado do produto, inclusive entre os funcionários, bem como de empresas, bares e restaurantes, comércio e demais instituições públicas das imediações.
 
– Hoje estamos ampliando o programa que vem sendo executado há mais de dois anos. O Prove já alcança mais de 300 mil litros de óleo coletado no estado e auxilia mais de 30 cooperativas a se estruturarem para fazer esse trabalho de forma sustentável – comemora a secretária do Ambiente, Marilene Ramos, lembrando que a região está passando por um processo de revitalização. Segundo ela, é importante que a secretaria consiga estabelecer entre as entidades representadas o compromisso com práticas ambientais corretas e sustentáveis.
 
Nessa etapa, participaram da iniciativa representantes de departamentos de Ambiente e Recursos Humanos do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), do Ministério da Agricultura, da Receita Federal e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que receberam da Copama (cooperativa responsável pela coleta periódica do material) os recipientes coletores e os certificados de apoiadores do programa. Posteriormente, o Prove vai firmar parcerias com outros órgãos, como o Hospital dos Servidores e o Tribunal de Justiça Federal, para estender a iniciativa ambiental.
 
– A expectativa do programa nesta fase, quando chega ao Centro da cidade, é estimular cada vez mais a adesão de novos parceiros e sensibilizar cada funcionário das empresas cadastradas a também fazerem no seu local de trabalho um ponto de coleta de óleo descartado em suas residências – explicou o coordenador do Prove, Eduardo Caetano.
 
Caetano lembrou que um litro de óleo de cozinha derramado na pia polui cerca de um milhão de litros de água.
– O simples fato de tirar o óleo do ralo já é um ótimo negócio e faz um bem enorme ao meio ambiente – assinalou.
As bombonas distribuídas hoje ficarão posicionadas nas empresas em locais determinados pelos respectivos parceiros, preferencialmente de fácil acesso dos funcionários. Para o descarte, o óleo deve ser acondicionado em garrafas PET, que devem ser depositadas no recipiente coletor. O transbordo será feito pelas cooperativas integrantes do programa – nesta região da cidade, a Copama -, responsáveis por recolher o produto, e transportado até os locais de reaproveitamento.
O INT que já havia aderido a programas de reciclagem de outros produtos, como plástico e papel, agora está intensificando uma campanha junto aos 450 funcionários, entre efetivos e terceirizados, para que participem da nova etapa para o reaproveitamento de óleo de cozinha usado.
 
– É muito importante a conscientização e que cada um contribua com sua parte na preservação do ambiente – disse Alba Lívia Tallon Bozi, do Núcleo de Desenvolvimento Social do instituto.
O Prove é operado por 40 cooperativas de catadores de materiais recicláveis que recolhem óleo de cozinha usado em estabelecimentos cadastrados. Além de evitar que o óleo vegetal contamine o meio ambiente ao ser despejado indevidamente na rede de águas pluviais, o programa gera emprego e renda para catadores de material reciclável. O produto tem diversas aplicações, mas é especialmente destinado à produção de sabão pastoso.

Fonte: Governo do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.