Anima Mundi começa no dia 10 de julho

Casa França-Brasil recebe mais uma edição que vai até 19 de julho
 

 do Anima Mundi 
Por Ascom da Secretaria de Cultura
A Casa França-Brasil, da Secretaria de Estado de Cultura, recebe, entre os dias 10 e 19 de julho, mais uma edição do Anima Mundi, um dos maiores eventos de animação do mundo. O festival reúne 400 filmes, fórum de debates, convidados internacionais, além de oficinas e workshop no Rio e em São Paulo. O festival comemora ainda os dez anos do concurso Anima Mundi Web, com animações feitas exclusivamente para a internet, e o pioneiro Anima Mundi Celular, que completa cinco anos.

Nesta 17ª edição, o Anima Mundi conta com patrocínio do Governo do Estado e da Oi. Para a Secretária de Estado de Cultura, Adriana Rattes, que participou da festa de abertura do festival, poder colaborar com a realização de um evento deste porte representa uma imensa satisfação.

– É uma alegria para o Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura patrocinar a décima-sétima edição do Anima Mundi, que ao longo do tempo firmou-se como o mais importante encontro de animação em todo o país. Desse encontro sairão novos artistas e novos trabalhos que levarão a nossa arte e a nossa cultura para as telas, monitores e celulares do planeta. E poder contribuir um pouco que seja para isso é infinitamente gratificante – enfatizou.

Criado em 1993 por Aída Queiroz, Cesar Coelho, Lea Zagury e Marcos Magalhães, o festival se tornou responsável por popularizar e incentivar o cinema de animação no Brasil, com fóruns de debates, encontros, palestras, oficinas e a aguardada mostra de filmes, com um panorama da produção mundial. A manutenção do festival por tanto tempo é possível graças ao patrocínio da Petrobras, que há 12 anos é parceira do evento.

O no Rio de Janeiro (Centro Cultural Banco do Brasil, Casa França Brasil, Odeon BR, Oi Futuro e Estação Botafogo) e em São Paulo, de 22 a 26 de julho, no Memorial da América Latina. Os 400 filmes, de 40 países, selecionados serão exibidos em quatro mostras competitivas (de longas-metragens, curtas, Infantil e Portfólio) e quatro não-competitivas (Animação em Curso, Futuro Animador e Panorama de curta e longa).

Para a edição 2009, o Anima Mundi recebeu quase 1300 inscrições de curtas-metragens de animação enviados de todas as partes do mundo. Depois do Brasil – que comparece com 66 filmes – França (56), Reino Unido (47), Estados Unidos (46) e Alemanha (24) foram os campeões de seleção, que ainda conta com filmes vindos de lugares como Ucrânia, Taiwan, República Tcheca, Moçambique, Letônia, Eslováquia e Croácia.

Fora das salas de cinema, as tradicionais oficinas (de técnicas como pixilation, massinha, areia, desenho) continuam a divertir crianças e adultos, travando o primeiro contato com a animação entre a maioria dos participantes. Os encontros do Papo Animado também prometem repetir o sucesso de anos anteriores com três convidados especiais: o estoniano Priit Pärn, o francês Michel Ocelot e o animador/pesquisador americano Amid Amidi.

Um encontro com animadores do estúdio Laika revelará os detalhes de produção do longa ‘Coraline’, exibido com sucesso nos cinemas no início deste ano. Responsável pelo workshop deste ano, Mike Cachuela participará da apresentação, que contará ainda com os bonecos usados na produção e um making of inédito.

O festival recebe a quarta edição do Anima Forum, que pela primeira vez acontece no Rio de Janeiro, entre 15 e 18 de julho no Teatro II do CCBB. Com patrocínio do BNDES, o fórum contará com quatro mesas de debate, com profissionais vindos ao Brasil especialmente para a ocasião, como Linda Simensky, responsável pela estruturação dos canais Cartoon Network e Nickelodeon.

Ela debaterá com Beth Carmona, ex-diretora da TV Cultura, TV Brasil e do Grupo Discovery da América Latina, sobre os temas da produção voltada para TV atualmente.

O Anima Forum ainda falará sobre o programa ProAnimação – uma espécie de ‘PAC’ do setor, lançado pelo Ministério da Cultura, com várias iniciativas de apoio à produção – e mostrará vários produtores e autores de séries brasileiras que já estão prontas ou em desenvolvimento.

Prova de que não somente o mercado brasileiro está aquecido é o número de longas que o Anima Mundi recebe este ano. Depois de passar por edições recentes em que a mostra competitiva foi até suspensa, a atual edição terá a exibição inédita de nove filmes, um recorde na história do evento.

Entre eles, está o divertido ‘Immigrants’, do húngaro Gabor Csupo, produzido pelo estúdio que assinou as primeiras temporadas de ‘Os Simpsons’ e a série "Rugrats". Dois filmes que tematizam a Primeira e a Segunda Guerra também são destaques: ‘The Good Soldier Shweik’, de Roberto Crombie, e o chinês ‘Zhang Ga!’, de Sun Lijun, respectivamente.

Já o representante brasileiro, ‘Aventuras de Gui e Estopa’, da paulistana Mariana Caltabiano, será exibido fora de competição.

O festival fará ainda uma homenagem a Anelio Latini, autor do primeiro longa de animação brasileiro, ‘Sinfonia Amazônica’ (1952), com seu irmão Mario Latini. O longa inclui um curioso "making of" de apresentação narrado por Almirante, um dos pioneiros do rádio brasileiro. A sessão festiva, apresentada por Marcia Latini, filha de Mario e sobrinha de Anelio, será complementada por um curta-metragem inédito, feito pelos irmãos quando Anelio tinham apenas 13 anos de idade: ‘Os azares de Lulu’.

No embalo das comemorações do Ano da França no Brasil, o Anima Mundi receberá a visita do francês Michel Ocelot (‘Azur e Asmar’, ‘Kirikou e a Feiticeira’) para um Papo Animado. Considerado um mestre no cinema de animação infantil, ele terá parte de sua premiada produção de curtas exibida na sessão. Assim como na edição passada, todos os filmes infantis foram dublados especialmente para o Anima Mundi.

Outro que terá sua obra lembrada em um encontro com o público é Priit Pärn, animador estoniano que vem mostrar, entre outras coisas, porque seu país se tornou em um pólo de expressiva produção na área.

Dos Estados Unidos, vem Amid Amidi, animador e pesquisador, dono de um dos blogs mais completos e acessados sobre animação em todo o mundo (www.cartoonmodern.blogsome.com). Seu Papo Animado será baseado no livro ‘Cartoon Modern: Style and Design in Fifties Animation’, em que documenta a produção do estúdio UPA (United Productions of America) na década de 50, antes de influenciar muito da produção que viria a seguir. Amidi é ainda autor de outros dois celebrados livros: ‘The Art of Robots for 20th Century Fox’ e ‘Inside UPA’. 

Fonte: Governo do Estado do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.