Aplicativo auxilia trabalho de operador de segurança no RJ

A Ferramenta amplia o atendimento às vítimas de crimes contra grupos de vulneráveis
 

 

A Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança iniciou o projeto-piloto do aplicativo de celular ValoraSeg, em Petrópolis, na Região Serrana. Foi o primeiro lançamento do ValoraSeg fora da capital. A ferramenta vai ampliar, facilitar e padronizar o atendimento às vítimas de crimes associados aos seguintes grupos de vulneráveis: crianças e adolescentes; mulheres; LGBT; idosos, além de vítimas de intolerância religiosa e discriminação racial.

 

O App foi lançado em maio em um projeto-piloto com policiais do 2º Batalhão de Polícia Militar (Botafogo) e agentes da 9ª Delegacia de Polícia (Catete) e da 10ª Delegacia de Polícia (Botafogo), que fazem parte da 2ª Área Integrada de Segurança Pública.

 

– O aplicativo é uma ferramenta importante para que as pessoas desses grupos vulneráveis, após serem vítimas de um crime, não serem vitimadas novamente por um atendimento não apropriado – disse o secretário de Segurança, Richard Nunes.

 

A subsecretária de Educação, Valorização e Prevenção, Helena de Rezende, ressaltou que o aplicativo é um protocolo de atuação criado em uma ação integrada de todos os órgãos de segurança – polícias Civil e Militar e Guarda Municipal – com representantes da sociedade civil, órgãos do Estado e do Município do Rio de Janeiro nas áreas de interesse.

 

– O aplicativo mostra que não só as polícias e guardas municipais estão em busca de qualificação de seus protocolos, como também gera transparência à atuação do operador de segurança nas suas ações em campo. Tudo foi feito pensando no operador de segurança – destacou.

 

Orientações importantes

 

Elaborado desde junho de 2017, o aplicativo traz um passo a passo criado para os policiais militares e civis e guardas municipais com orientações importantes para um atendimento mais qualificado, além de contribuir para a identificação mais clara dos casos de violência contra grupos vulneráveis. Com a ferramenta, que funcionará offline em cada celular, basta baixar o aplicativo ValoraSeg, o agente poderá acessar os procedimentos de abordagem aos grupos vulneráveis (tanto vítimas quanto autores). Para contribuir com a iniciativa, o Instituto de Segurança Pública divulgou em seu site uma ferramenta interativa de consulta sobre crimes contra grupos vulneráveis (www.ispvisualizacao.rj.gov.br/grupos.html).

 

 

O aplicativo, além das questões de atendimento aos grupos vulneráveis, busca a valorização dos profissionais de segurança pública.

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.