Áreas de risco no Rio serão revistas

Relação da GEO-Rio previa previa apenas três dos pontos atingidos
 

As fortes chuvas que castigaram a cidade do Rio de Janeiro chamou a atenção da prefeitura sobre os pontos de riscos da cidade, será refeita uma lista para que as autoridades tenham o número exato de quantas familias precisaram ser removidas.

Uma relação divulgada no início desse ano pela GEO-Rio apontava 373 casas em 32 áreas de riscos, mas a maior parte dos deslizamentos com mortes aconteceu em pontos que não foram citados no relatório, como o Morro dos Prazeres, em Santa Tereza, que registrou o maior número de vítimas fatais na capital.
Desses 32 pontos de riscos, apenas três realmente sofreram com a tempestada, é o caso da Favela da Rocinha, o Morro do Borel e a autoestrada Grajaú-Jacarepaguá.

Segundo algumas autoridades a razão por esse aumento dos pontos de risco foram as intensas chuvas que caiu na cidade, foi enviado pelo Ministério das Cidades R$ 380 mil para a GEO-Rio fazer uma cartografia e projetos para 10 dessas 32 áreas citadas no primeiro relatório.

Fonte: AIB com fontes

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.