Atletas Paraolímpicos inspiram jovens

Atletas Paraolímpicos inspiram jovens
 
Mais de 50 jovens atletas de 12 a 18 anos que participaram recentemente das Paraolimpíadas Escolares foram recebidos na sede do Comitê Organizador Rio 2016 nesta quarta-feira, dia 7 de setembro, para conhecer o projeto dos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro, que serão abertos no Estádio do Maracanã daqui a exatos cinco anos. 
 
Foram recepcionados pelo presidente do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, e o diretor geral do Comitê Organizador, Leonardo Gryner, e ouviram relatos da experiência dos campeões Paraolímpicos André Brasil (natação) e Roseana Ferreira dos Santos, a Rosinha (atletismo – arremesso de peso e lançamento de disco), e do campeão mundial e medalhista Paraolímpico Yohansson do Nascimento Ferreira (atletismo – 100m e 200m). A conversa com os atletas foi moderada pela jornalista Flávia Cintra, que ficou tetraplégica aos 18 anos após sofrer um acidente de carro.
Nuzman fez a abertura do evento destacando a importância do movimento Paraolímpico para o esporte no Brasil: “Grandes lições e experiências acumuladas com os Jogos Parapan-americanos Rio 2007 credenciaram o Rio para receber os Jogos Paraolímpicos de 2016. Fomos os primeiros a realizar os Jogos Parapan-americanos nas mesmas instalações e na sequência dos Jogos Pan-americanos, seguindo o modelo dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos”. 
 
“Os Jogos Paraolímpicos de 2016 serão históricos porque terão a marca da excelência e da inclusão, os mesmos valores que nos acompanham desde a campanha vitoriosa rumo a 2016. Os Jogos estão motivando inúmeras mudanças estruturais e equipando a cidade para formar e atender atletas Paraolímpicos.” 
 
Os medalhistas Paraolímpicos mostraram suas medalhas e equipamentos esportivos (como o disco e o peso) aos atletas presentes, de esportes como atletismo, bocha, futebol de cinco, futebol de sete, goalball, natação, tênis e tênis de mesa. Por meio de suas histórias de vida e da perspectiva dos Jogos Rio 2016, encorajaram os jovens a buscar seus objetivos pessoais e esportivos.
“Precisamos correr atrás de nossos sonhos e nos dedicarmos totalmente a eles. Eu durmo com o meu disco e o meu peso como travesseiros”, brincou Rosinha. “Os Jogos de 2016 deixarão instalações que poderemos usar depois para a preparação de atletas e uma série de projetos. Quero conhecer cada uma delas.” 
 
Yohansson do Nascimento Ferreira revelou a lógica e a meta que movem sua preparação: “As únicas coisas que não posso fazer são as que ainda não tentei. Sempre teremos obstáculos, depende de como vamos encará-los. Meus resultados vêm progredindo ao longo dos anos e espero conquistar a medalha de ouro olímpica que ainda não tenho”. 
 
André Brasil falou sobre a transformação que os Jogos trarão para a vida das pessoas, da cidade e do país: “Acredito que todos devem seguir seu caminho e fazer o que gostam. Comecei a praticar natação desde cedo. Conheço o efeito positivo dos Jogos. Já vi o bem que fizeram a outras sedes e estou confiante de que o mesmo acontecerá com o Rio e com o Brasil”. 
 
Sobre os Jogos Paraolímpicos Rio 2016
 Os Jogos Paraolímpicos Rio 2016 serão realizados de 7 a 18 de setembro e contarão com cerca de 4.200 atletas de mais de 150 países. Com a inclusão do paratriatlo e da paracanoagem a partir de 2016, o programa dos Jogos cresceu para 22 esportes. Mais de 70 emissoras de televisão mostrarão os Jogos para uma audiência global. Os Jogos Paraolímpicos Pequim 2008 tiveram um crescimento de 200% no tempo de transmissão comparados com Atenas 2004. Em torno de 5.500 jornalistas e dois milhões de espectadores são esperados no evento, que mobilizará ainda 30.000 voluntários. 

Fonte: Assessoria

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.