Automedicação é um risco

Perigo de automedicação no Carnaval
 

A Farmais – maior rede de franquias de drogarias com 500 lojas espalhadas pela região Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil – está orientando a população para os perigos da automedicação contra a ressaca no período de Carnaval. Nesta época, as vendas de antiácidos, analgésicos e medicamentos para mal estar e enjôo – consumidos normalmente em larga escala para combater os efeitos indesejáveis da ressaca, além de preservativos masculinos, femininos, chegam a aumentar em até 40%, principalmente nas cidades turísticas.
   Como o aumento da ingestão de álcool nessa época do ano faz com que as pessoas acabem utilizando medicamentos isentos de prescrição sem nenhuma orientação, a Coordenadora Farmacêutica da Rede Farmais, Dafne Estevão dá algumas orientações sobre os perigos e a correta utilização de alguns tipos de medicamentos para controlar os efeitos indesejáveis da ressaca:
 
• Os analgésicos geralmente são utilizados para o alívio de dores moderadas, como a dor de cabeça, por exemplo. A combinação desses medicamentos com outras drogas pode ser perigosa.
• Nunca se deve tomar uma dose maior do que a recomendada, achando que o medicamento irá resolver o problema mais rapidamente, isso é prejudicial ao organismo.
• O uso desses medicamentos juntamente com o álcool pode causar tontura, perda da coordenação motora e redução dos reflexos, o que piora ainda mais a situação do motorista embriagado.
• O ácido acetilsalicílico, encontrado na Aspirina e em outros analgésicos, se combinado com álcool, pode causar irritação na mucosa gástrica e aumentar o risco de hemorragia gastrintestinal.
• Já na interação de álcool com Paracetamol, outro princípio, que é encontrado em medicamentos como o Tylenol, por exemplo, o risco de causar danos ao fígado é grande.
• Outro erro cometido por uma grande parte das mulheres, que não utilizam preservativos ou outro método contraceptivo, é recorrer ao uso da pílula do dia seguinte, a qual usada sem orientação médica pode trazer graves conseqüências.

Em casos de dúvidas em relação ao uso de medicamentos, a Farmais orienta os usuários a procurarem sempre pelo farmacêutico responsável de cada drogaria.
 
Informações para a imprensa:
INÉDITA COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA

Fonte: Perigo de automedicação no Carnaval

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.