Balletto dell`Esperia em apresentação

CAIXA Cultural Rio
 

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, dias 23 e 24 de abril, às 19h30, a companhia de dança Balletto dell`Esperia, que traz ao palco do Teatro Nelson Rodrigues um espetáculo formado por três coreografias: “A morte do cisne”, “L’Après midi d’un faune” e “Os quatro temperamentos”.   

O espetáculo começa com “A morte do cisne”, em que três bailarinas encenam a potência e a graça do pássaro antes de seu último suspiro. Em seguida, três bailarinos trazem “L’Après midi d’un faune”, que, em um balé totalmente masculino, evocam o espírito animalesco, do erotismo latente do Fauno de Nijinski, o que provoca uma contraposição com a parte anterior. E após o intervalo, na última parte do espetáculo é a vez de “Os quatro temperamentos”, que, na coreografia de Paolo Mohovich, presta uma homenagem a George Balanchine. 

O Balletto dell`Esperia é uma companhia de dança contemporânea de base clássica, ativa na Itália desde 1999, formada atualmente por sete dançarinos solistas e dirigido por Paolo  Mohovich. 

O repertório da Companhia, que tem sede em Turim, segue fundamentalmente três linhas: as criações de  Paolo Mohovich, coreógrafo e diretor artístico do Balletto dell`Esperia, as criações exclusivas para a companhia assinadas por jovens coreógrafos europeus e italianos, já afirmados no exterior e no nosso país como Laura Corradi, Hervé Costa, Inmaculada Rubio, Eugenio Scigliano e, por último, a introdução de algumas peças significativas da coreografia contemporânea, como foi para "Steptext", uma das obras primas de William Forsythe. 

O Balletto dell`Esperia já foi convidado a participar de grandes festivais na Itália, Espanha, França, Chipre, Argentina, Uruguai, Brasil, Chile e Estados Unidos, obtendo em todos os lugares a aprovação de público e crítica.  

Na Itália, dentre os teatros e festivais mais prestigiosos que acolheram o Balletto dell`Esperia, estão Festival La Versiliana (Marina di Pietrasanta), Festival Invito alla Danza (Roma), Festival Torinodanza, Festival di Danza di Brescia, Teatro Team di Bari, Festival Abano Danza, Estate Teatrale Veronese, Teatro Orfeo di Taranto, Festival Vignaledanza, Circuito Teatrale del Piemonte, Circuito della Sardegna, Circuito Arteven, Teatro Comunale di Bolzano, Circuito della Fondazione Umbria Spettacolo. 

Fora da Itália o Balletto dell`Esperia já esteve presente no Théatre de St.Quentin, em Yvelines de Paris, Festival “Le temps d’aimer” di Biarritz (França), Teatro Circo di Albacete (Espanha), Teatro Auditorio di Cuenca (Espanha), Teatro Principal di Saragozza (Espanha), Festival Madrid en Danza, Festival di Autunno (Madrid), Festival Sagunt a Escena (Espanha), Festival Dansa Valencia (Espanha), European Festival (Chipre), Lincoln Theatre di Miami Beach (USA), Teatro della Florida International University – Miami (USA), Teatro dell’Opera Solis di Montevideo (Uruguai), Teatro La Comedia de Buenos Aires, Teatro Independencia di Mendoza (Argentina). 

Já em suas temporadas pelo Brasil fez apresentações no Teatro da Dança de São Paulo, Grande Teatro do Palácio das Artes de Belo Horizonte e CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro Nelson Rodrigues do Rio de Janeiro. 

Paolo Mohovich

Paolo Mohovich nasceu em Bolonha. Iniciou seus estudos de dança em Turim com Sara Acquarone, continuou a estudar em Cannes com Rosella Hightower, Jose Ferran e Edward Cook.  

Paralelamente, além de fazer aperfeiçoamento em Londres (Danceworks), em Havana (Cuballet) e no Curso de aperfeiçoamento do Ater em Reggio Emilia, Mohovich concluiu seus estudos universitários na faculdade de Arquitetura do Politécnico de Turim, estudos interrompidos pela sua carreira de dançarino.  

Profissionalmente trabalhou em Madri com o Ballet de Victor Ullate, em Florença com o Balletto da Toscana e novamente na Espanha no Ballet e Zaragoza. Nestas companhias realiza trabalhos de importantes coreógrafos como Uwe Sholz, William Forsythe, Robert North, Gorge Balanchine, Nacho Duato, Rudi van Dantzig, Hans van Manen, Mauro Bigonzetti, Fabrizio Monteverde, entre outros… 

No próprio Balé de Zaragoza começou a interessar-se pela coreografia em 1994. Nesse ano começa a trabalhar com um grupo de dançarinos com os quais alcança os primeiros sucessos profissionais, entre os quais a obtenção de dois “Prix Volinine di Coreografia” em Paris no ano de 1995 e em 1997 e o convite para Festivais prestigiosos como “Le Temps d’Aimer” di Biarritz ou o Festival de outono de Madri. Em 1999 foi convidado, junto a Lionel Hoche e a Tero Saarinen, a participar da primeira apresentação de "Emergences", uma das mais prestigiosas exposições dedicada aos jovens  coreógrafos europeus, organizada por Pierre Moutarde, diretor do Teatro de St. Quentin en Yvelines de Paris. No mesmo ano cria, na Itália, o “Balletto dell`Esperia”, seguido pelos seus colegas, quase todos espanhóis e provenientes de outras experiências em prestigiosas  companhias européias. 

FICHA TÉCNICA

A morte do cisne

Duração: 13 minutos

Coreografia: Thierry Malandain

Música: Camille Saint Saëns

Figurino: Jorge Gallardo

Luzes: Jean Claude Asquié

Momento de dança pura, este monólogo evoca a potência e a graça de um pássaro carregado de simbologia, dentre tantas, aquela da luz. A luz da brancura imaculada, aquela do refletor que envolve a sombra do cisne em Fokine, aquela do céu de onde surge o pássaro. O Céu: a Tradição atribui o valor ao número três e é por isto que eu multipliquei por três a interpretação deste canto celeste. Três cisnes, três mulheres descidas do céu chegam sobre a terra para dar o seu último suspiro antes de se encarnarem em um novo voo.

 

L’Après midi d’un faune

Duração: 13 minutos

Coreografia: Eugenio Scigliano

Música: Claude Debussy

Figurino: Khristopher Millar

Luzes: Carlo Cerri

Balé totalmente masculino que evoca o espírito animalesco e o erotismo latente do Fauno de Nijinski. Em contraposição com a anterior parte do espetáculo (A morte do cisne),  totalmente feminino, porém com o comum denominador da animalidade que serve para plasmar e exaltar a peculiaridade de cada um dos sexos. Eugenio Scigliano criou uma dança que explora masculinidade através das suas formas sinuosas e sensuais, mas fortes e terrestres ao mesmo tempo, em harmoniosa contraposição com a célebre música de Claude Debussy.

 

Os quatro temperamentos

Duração: 40 minutos

Coreografia: Paolo Mohovich

Música: Paul Hindemith

Figurino: Jorge Gallardo

Luzes: Sergio Rissone, Paolo Mohovich

Paul Hindemith escreveu os Quatro Temperamentos e este foi um dos mais famosos balés de George Balanchine. Hoje, Paolo Mohovich quer prestar-lhe homenagem com uma coreografia que explora, em modo mais intenso e menos abstrato, a essência dos quatro temperamentos. Trata-se de um claro sinal de distinção entre a dança feminina que, por vezes, com o uso das pontas, retomará alguns padrões estéticos do neoclassicismo do ‘900 e a masculina, mais terrestre e ancestral, que servirá como contraposição, criando, também nesta ocasião, um jogo entre dionisíaco e apolíneo.

 

SERVIÇO:

Balletto dell`Esperia

Data: 23 e 24 de abril de 2010 (sexta-feira e sábado)

Horário: 19h30

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro Nelson Rodrigues

Endereço: Av. República do Chile, 230, Centro (Próximo ao Metrô: Estação Carioca)

Telefone: (21) 2262-8152

Capacidade: 388 lugares (sendo 2 para cadeirantes)

Classificação: 12 anos

Duração: 60 minutos

ENTRADA FRANCA  – Senhas no dia do evento com 30 minutos de antecedência

Acesso para pessoas com deficiência

 

Assessoria de Imprensa

CAIXA Cultural Rio de Janeiro

(21) 2202 3086 / (21) 2202 3096

cultura.rj@caixa.gov.br

www.caixa.gov.br/caixacultural

Fonte: CAIXA Cultural Rio de Janeiro

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.