“Barriga” de jornalista no Twitter vira caso de polícia

Narrador e comentarista do ‘Jornal do Almoço’, da RBS, Brito admite que quis fazer uma brincadeira devido ao sobrenome do jogador fictício – que faz alusão ao seu
 

No início de fevereiro o perfil do Twitter mantido pelo jornalista Farid Germano Filho, da Rede Pampa, publicou que o Grêmio tinha contratado o jogador argentino Enrico Cabrito. Horas depois, sites informaram que o atleta não existe, sendo “criado” por internautas, e comentaram a “barriga”. Ao Comunique-se, o jornalista afirma, entretanto, que sua página na rede social foi invadida e que vai procurar as autoridades para registrar boletim de ocorrência. 

farid_germano_filho_-_div

Farid Germano Filho contratou profissional de TI para saber quem invadiu sua conta (Imagem: Divulgação)
 

Germano Filho conta que estava em casa quando recebeu uma ligação que o questionava sobre quem era o suposto atleta argentino. Negando conhecê-lo, o jornalista foi informado que a notícia da contratação pelo Grêmio estava em seu microblog. “Foi um spam. Imediatamente, coloquei uma nota e troquei a senha. Desconfio que deixei meu Twitter aberto em algum lugar. Foi uma maldade muito grande e deu toda essa repercussão”.

 

Sem ter ideia de quem possa ter invadido sua conta, o jornalista contratou um profissional especializado em tecnologia da informação para fazer uma investigação e tentar localizar o suposto invasor. A repercussão e as “mais duras ofensas” que Germano Filho tem recebido fazem com que ele repense sua presença na rede social. “Respeito essas mídias, mas passo a fazer um alerta: as pessoas se transformam, se tornam poderosas atrás do Twitter ou do Facebook. Há de se pensar como esses crimes devem ser tratados”.

 

Jornalista há mais de duas décadas, o funcionário da Rede Pampa enaltece o trabalho da imprensa esportiva gaúcha e descarta a pretensão da mídia em fazer chacota neste caso. “Assistindo colegas de profissão, alguns – dois ou três – têm levado para o lado da piada, do deboche e do despreparo da imprensa esportiva gaúcha. Não concordo com isso, é uma das melhores imprensas do Brasil, uma das mais corretíssimas”. Ele também comenta a “barriga” do comentarista da RBS, Paulo Brito, que anunciou a contratação de Enrico Cabrito na TV. “Nenhuma empresa quis fazer chacota. Conheço o Paulo, ele não faria isso”.

Paulo_Brito_RBS_6

Paulo Brito quis brincar com nome “Cabrito”, fazendo alusão às brincadeiras com seu sobrenome (Imagem: Reprodução/RBS)
 
 

Tentação
Narrador e comentarista do ‘Jornal do Almoço’, da RBS, Brito admite que quis fazer uma brincadeira devido ao sobrenome do jogador fictício – que faz alusão ao seu. Ele assume que faltou apurar a informação e garante que o erro não se repetirá. “Caí na tentação, depois de 25 anos de profissão”, afirma, ao ressaltar que sempre deu informações certeiras. Nesta quarta-feira, 6, Brito explica o caso para os telespectadores do noticiário da afiliada da Globo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. 

 

Brincadeira
O caso ganhou repercussão nas redes sociais e na grande imprensa nessa terça-feira, 5. Porém, essa não era a intenção do estudante de jornalismo Fabiano Estrela ao dar vida a Enrico Cabrito no Twitter e comentar a sua contratação pelo tricolor gaúcho com seu amigo Enrico Lazzaronni. “A brincadeira era interna, jamais foi feita propositalmente para prejudicar quem quer que seja”, escreveu o universitário em sua página no microblog. Ele ainda relatou que a situação foi “engraçada”.

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.