Brasil é alvo de interesse de investidores

Alvo no mercado marítimo
 

A estabilidade econômica e política associada aos projetos do pré-sal e ao aumento dos preços das commodities transformaram o Brasil em alvo de interesse de investidores estrangeiros que aplicam no mercado marítimo no mundo. O assunto é tema da 1ª Conferência Mare Fórum na América do Sul, que ocorrerá  terça-feira (13) no Rio de Janeiro. Os organizadores se preparam para receber de 150 a 200 empresários europeus, asiáticos e norte-americanos.

O diretor da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China (CCIBC), Kevin Tang, disse à Agência Brasil que o mercado brasileiro é um dos mais atraentes do mundo, segundo os investidores. Os empresários buscam mercados sólidos que não estejam sob o impacto da crise econômica mundial, como os Estados Unidos e alguns países europeus, entre eles Grécia, Itália e Espanha.

“Os investidores querem saber quais são as oportunidades oferecidas pelo Brasil, associadas às tendências mundiais”, disse Tang. “Os investidores estão dispostos a diversificar, e o Brasil oferece o que eles esperam: estabilidade e potencial.”

As discussões se concentrarão nas oportunidades de negócios no Brasil, envolvendo toda a cadeia produtiva de transporte marítimo – construção naval, mineração e alternativas diversificadas de energia. Representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e da Secretaria de Portos foram convidados para os debates.
 
Como exemplo de investimentos, Tang ressaltou que um dos corredores de navegação que mais cresce no mundo, em todos os tipos de carga – granel seco ou líquido, contêineres e tankers – é o que liga o Brasil à China. Segundo ele, o crescimento do volume de negócios saltou de US$ 2,3 bilhões, em 2000, para R$ 56 bilhões em 2010.

O Rio de Janeiro foi escolhido como sede da conferência por ser polo de petróleo, mineração e também logística, segundo Tang. Ele lembrou que a região tem quatro novos estaleiros em construção.

Já houve 60 edições dessa conferência em nove países, mas é a primeira vez que ocorre na América do Sul. As discussões anteriores ocorreram nos Estados Unidos, na Itália, Indonésia, China, Turquia, Holanda, França, Grécia e Bélgica. Atualmente o mercado de transporte marítimo reúne, entre seus principais investidores, chineses, indonésios, japoneses, gregos e italianos.

 

Fonte: Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.