Buenos Aires construirá sua primeira UPA

Buenos Aires construirá sua primeira UPA
 

O Rio de Janeiro ficará presente para sempre na capital argentina. Segundo o governador da Província de Buenos Aires, Daniel Scioli, será construída em Buenos Aires até o final do ano a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas, um novo estilo de unidade de saúde que começou no Rio e hoje se tornou modelo de unidades de saúde de todo o país. A novidade foi anunciada pelo vice-governador, Luiz Fernando Pezão, durante a visita às obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) nas comunidades de Manguinhos e Alemão.

O vice-governador, que apresentou os projetos que estão sendo desenvolvidos no estado, ao lado do presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop), Ícaro Moreno Junior, garantiu que há muito de experiência para se trocar entre Rio de Janeiro e Buenos Aires, já que os problemas são parecidos. Ele assistiu ao vídeo do projeto de intervenção argentino, “Soluciones Ya”, e apresentou as ações que estão sendo desenvolvidas aqui, com visita a unidades habitacionais, biblioteca, UPA, centro de geração de renda e uma estação do teleférico do Alemão.

– Acho extraordinária a integração entre os dois governos, já que temos os mesmos problemas. O que as pessoas estão vendo hoje é o fruto de uma parceria público que não se via aqui há mais de 20 anos. Os governos abandonaram essas áreas mais carentes e hoje estamos retomando-as com projetos culturais, esportivos e educacionais. É o resgate da cidadania e da dignidade dos moradores – frisou Pezão.

O governador argentino comentou que os projetos que estão sendo desenvolvidos em Buenos Aires têm a mesma direção das obras do PAC. São, basicamente, intervenções de saneamento básico, urbanização de áreas mais carentes e abertura de ruas, permitindo a entrada de ambulâncias e veículos de coleta de lixo nas comunidades. Scioli completou que os projetos fluminenses reforçam a importância de se levar projetos e equipamentos sociais para regiões com altos índices de criminalidade.

– O que estamos vendo aqui é um exemplo de que através da Cultura, da Saúde, de projetos educacionais e de lazer e habitações dignas é possível resgatar as áreas mais degradadas. O vice-governador comentou que até o Exército abandonou a região e hoje, com as obras, há uma recuperação da expectativa de vida do povo – afirmou Scioli.

Pezão lembrou que esses são projetos que visam melhorar a capacitação da comunidade e atrair para as regiões mais carentes empresas, que investiriam na mão de obra local. Nas obras do PAC, por exemplo, mais de 80% dos trabalhadores são da região. O vice-governador admitiu que, com a série de eventos que estão programados para acontecer no estado, é necessário investir pesado na qualificação profissional do povo. Ele garantiu que haverá, nos próximos três anos, cerca de R$ 150 bilhões, entre investimentos públicos e privados, chegando ao Rio de Janeiro.

– Queremos que o grande legado das Olimpíadas seja a urbanização de todas as comunidades do Rio – concluiu Pezão.

Fonte: Secretaria de Obras

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.