Caixa assina 74 acordos

Subvenção para Inclusão Social
 

GM anuncia início de obras civis da sua nova fábrica de motores em Joinville (SC) 
 
Empresa vencedora da concorrência é a Cesbe S. A. Engenharia e Empreendimento
Início dos trabalhos de construção da unidade está previsto para o próximo mês de março
 
Joinville (SC) – A General Motors do Brasil anunciou o nome da empresa Cesbe S. A. Engenharia e Empreendimento, como a responsável pelas obras civis de construção de sua nova fábrica de motores e componentes automotivos em Joinville (SC), que começarão no próximo mês de março de 2011. A inauguração da unidade está prevista para o próximo ano de 2012. A capacidade inicial de produção é estimada em 120 mil motores e 200 mil cabeçotes de alumínio por ano e os investimentos totais somam R$ 350 milhões.

A notícia foi transmitida por Marcos Munhoz, vice presidente de Comunicação, Relações Públicas e Governamentais da General Motors do Brasil, durante audiência com o prefeito de Joinville, Carlito Merss, ocorrida naquele município.

"Apesar da forte incidência pluviométrica dos últimos meses, conseguimos concluir as obras de terraplenagem necessárias para o início das obras civis. Portanto, nosso cronograma não sofreu alterações e vamos concluir esta fábrica no prazo previsto, bastante moderna e aperfeiçoada às mais novas tecnologias mundiais disponíveis", destacou o executivo.

Obras civis da nova fábrica

Marcos Munhoz informou que a Cesbe, com sede no Paraná e com filial em Santa Catarina, venceu o processo de concorrência realizado pela GM. Com isso ela será a responsável pelo `turn key`, ou seja, todo o processo de construção civil, incluindo a participação de outras empresas.

Ele acentuou, ainda, que a escolha de Joinville para a implantação do novo projeto ocorreu em função de a cidade oferecer "excelente infra-estrutura e mão-de-obra bastante qualificada, além de contar com a proximidade de cinco portos no estado de Santa Catarina".
 

A Caixa Econômica Federal assinou o último dos 74 acordos de subvenção com as entidades sociais selecionadas por edital público, a partir da parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A ação viabilizará o apoio financeiro a projetos voltados para comunidades em situação de vulnerabilidade socioambiental.  

Com a assinatura de todos os acordos, a CAIXA passará, a partir de agora, a acompanhar a implementação dos planos de ação dos projetos selecionados, que deverão contribuir para o desenvolvimento regional sustentável, por meio de negócios inclusivos que criem novas oportunidades para toda a cadeia produtiva. A intenção é acelerar a redução das desigualdades sociais nas regiões brasileiras, proporcionando o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). 

Os projetos, elaborados por diferentes entidades da sociedade civil (como ONGs, OSCIPs, associações e cooperativas), serão desenvolvidos até setembro de 2011. A execução terá apoio técnico e institucional da CAIXA, por meio das 79 superintendências regionais do banco, e terá foco nos temas: empreendedorismo feminino; capacitação de pessoas com deficiência; catadores de resíduos sólidos; educação ambiental; educação cidadã de crianças, adolescentes e jovens; relações humanas e sociais e aquisição de equipamentos aliada à capacitação profissional, entre outros.

 

Projetos – Dos 74 projetos, 20 estão direcionados ao 3º ODM, relacionado à valorização da mulher. Entre eles, destaca-se o projeto “Maré de Sabores: Mulheres Empreendedoras em busca da Cidadania”, da Associação Redes de Desenvolvimento da Maré, no Rio de Janeiro (RJ). A entidade social pretende desenvolver atividades de formação nas áreas de mobilização, participação comunitária e desenvolvimento sustentável, com a realização de oficinas de empreendedorismo, tecnologia e gestão participativa para 60 mulheres chefes de família, fortalecendo a presença feminina no desenvolvimento da economia do país. 

Já o projeto “Apicultura Desenvolvimento Sustentável”, da Associação do Projeto de Assentamento Rio Claro, volta-se a agricultores familiares e assentados em Jataí (GO) e visa à aquisição de equipamentos e capacitação em apicultura avançada. O principal objetivo é implementar um sistema de produção de mel que viabilize, de forma sustentável, o incremento dos níveis de renda, segurança alimentar e qualidade de vida no assentamento, sem degradar a natureza.

 Em São Luís (MA), será desenvolvido o “Projeto Mulheres Empreendedoras”, cujo foco é capacitar integrantes da Comunidade Cidade Operária, inserindo as mulheres no mercado de trabalho por meio de laboratórios de informática básica, operador de caixa, rotinas administrativas e atendimento ao cliente.

Objetivos do Milênio – A CAIXA, o PNUD e a Agência Brasileira de Cooperação, ligada ao Ministério das Relações Exteriores assinaram, em novembro de 2009, um acordo de cooperação técnica. O acordo visa a fortalecer e a aprimorar as práticas do Programa CAIXA ODM, por meio da sistematização de metodologias de intervenção social, aprimorando as capacidades internas do banco na elaboração, análise, gerenciamento e avaliação de projetos de desenvolvimento humano, em especial aqueles voltados às comunidades vulneráveis no Brasil. 

Esse acordo tripartite está inserido na política de responsabilidade social da CAIXA e contribui para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, definidos durante a reunião da Cúpula do Milênio, realizada em Nova Iorque, em 2000, na qual líderes de 191 nações oficializaram pacto para tornar o mundo mais solidário e mais justo até 2015.  

Criado em 2006, o Programa CAIXA ODM faz parte da estratégia de relacionamento do banco com as comunidades, e pretende consolidar a atuação da CAIXA como agente financeiro promotor de desenvolvimento local, de forma integrada com os objetivos negociais, pautado nos princípios que norteiam a responsabilidade social empresarial. 

Investimento Social Privado – A seleção pública e a assinatura dos acordos com as entidades agregam ao Programa CAIXA ODM uma modelagem de investimento social privado, que consiste na aplicação de recursos de forma planejada e orientada. O investimento é acompanhado por meio de indicadores, buscando-se medir o impacto das ações na transformação da vida da comunidade.  

Os 74 projetos apoiados pela CAIXA representam, apenas, o início dessa experiência de investimento em negócios inclusivos. Isso evidencia a integração dos projetos sociais com os objetivos negociais do banco. 

 

Fonte: CEF

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.