Caixa recebe certificado de economia energética

Projetos que aproveitam recursos naturais ganham etiqueta
 

A Caixa Econômica Federal será o primeiro banco do país a receber etiqueta de eficiência energética em edifícios comerciais, públicos e de serviços. Criada pela Eletrobrás e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a iniciativa faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) e premia os projetos onde há uso racional de energia elétrica. O sistema é semelhante ao utilizado em eletrodomésticos. Uma agência em Curitiba (PR) e o projeto da sede regional em Belém (PA) receberão a etiqueta. 

Os níveis de eficiência, avaliados por laboratórios credenciados, variam de A (mais eficiente) a E (menos eficiente). A análise pode ser feita tanto em edifícios em construção quanto em prédios mais antigos. Para compor a pontuação, são levados em conta o sistema de condicionamento de ar (com 40% dos pontos), o sistema de iluminação (com 30%) e o desempenho térmico da envoltória (também responsável por 30% do total). Iniciativas como racionalização do uso da água, aproveitamento de água da chuva e uso de fontes renováveis de energia receberão, cada uma, um ponto extra. 

Em funcionamento desde dezembro passado, a agência Jardim das Américas, em Curitiba (PR), é a primeira unidade do banco a receber a certificação. As instalações foram construídas de modo a economizar até 25% de energia elétrica e 65% de água. Na construção, foram utilizados materiais de alta resistência térmica. A cobertura é feita com telha metálica e manta de lã de rocha. 

As luminárias, de alto rendimento e refletância, são desligadas automaticamente após o horário de expediente da agência. Nos salões de atendimento ao público, a iluminação é setorizada e, nas áreas próximas às janelas, a iluminação é desligada, dando lugar à luz natural durante o dia. A densidade de potência média do sistema de iluminação é de 12,88 W/m². 

Com inauguração prevista para o segundo semestre de 2010, a sede da CAIXA em Belém (PA) também receberá a etiqueta. Os nove pavimentos do edifício serão revestidos de pastilhas, vidro reflexivo e cores claras para garantir o conforto térmico. Além de usar lâmpadas e reatores de alta eficiência, o prédio contará com sensores de presença nas escadas e nos estacionamentos. Os circuitos serão divididos e, após programados, serão desligados automaticamente pelo sistema de supervisão predial. Como na agência em Curitiba, as áreas próximas às janelas e vidraças aproveitarão a luz natural. 

O ar condicionado contará com sistema central, do tipo expansão indireta (água gelada), com chillers de condensação. Este sistema será comandado por setores, por meio de um controlador microprocessado. Também haverá condicionadores de ar individuais minisplits ou splits. Uma característica importante da região – o alto volume de chuvas – será aproveitada, com a captação de água de drenagem do subsolo. Armazenada e filtrada, essa água será utilizada nos vasos sanitários e no sistema de incêndio. 

A etiqueta foi lançada  no Sindicato da Indústria da Construção Civil, Sinduscon, de São Paulo. Além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, estiveram presentes os presidentes da Eletrobrás, José Antônio Muniz, e do Inmetro, João Jornada. A CAIXA foi representada pelo superintendente Nacional de Suprimento e Infraestrutura, Antenor Pimenta Madeira. Também compareceram o presidente do Sinduscon, Sérgio Watanabe, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Paulo Safady Simão, e o presidente do Conselho Deliberativo do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (Cbcs), Marcelo Takaoka.

 

Fonte: CEF

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.