Campanha pela paz entre torcidas brasileira e argentina é lançada no Rio Media Center

A Argentina sediará os Jogos Olímpicos da Juventude, em 2018, em Buenos Aires
 

2016.08.10-torcidas-brasil-e-argentina-JM-Coelho-16 (640x427)

 

Após a briga registrada entre um torcedor brasileiro e um argentino na arquibancada durante um jogo de tênis dos Jogos Rio 2016, no Parque Olímpico, na Barra, o secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento do Brasil, o ex-nadador Luiz Lima, e o secretário de Esportes, Educação Física e Recreação da Argentina, Carlos Javier Mac Allister, lançaram na quarta-feira (10/08), em entrevista coletiva no auditório do Rio Media Center (RMC), uma campanha para estimular a boa convivência entre atletas e torcedores dos dois países. “Não podemos deixar que nada prejudique esse momento especial para o Brasil e para toda a América do Sul. Por isso estamos aqui lançando essa campanha para que brasileiros e argentinos se abracem “, disse Luiz Lima. Além de Luiz Lima e Mac Allister, também compuseram a mesa da entrevista coletiva o subsecretário de Esporte e Alto Rendimento da Argentina, o ex-treinador olímpico de natação Orlando Mocagatta, e o representante do Ente Nacional de Alto Rendimiento Esportivo, Luis Calvimonte.

 

 

Mac Allister lembrou que os dois países, apesar da rivalidade histórica que aumentou bastante durante a Copa do Mundo de 2014 (quando a Argentina chegou à final, no Maracanã, e viu a grande maioria da torcida brasileira torcer pela Alemanha, que havia goleado o Brasil por 7 a 1 na semifinal), jamais foram inimigos. “Na Copa do Mundo começou a aumentar esse distanciamento que vemos hoje, por isso iniciamos essa ação”, afirmou ele. O representante argentino informou que dirigentes, treinadores e atletas do país receberam este pedido da secretaria para estimular o congraçamento com os brasileiros. “Estamos no meio de um acontecimento grandioso, histórico, para a América do Sul, e a forma de ajudarmos é com um comportamento impecável de nossos atletas e de nossa torcida”.

 

 

Uma das ações da campanha é fazer com que atletas brasileiros e argentinos que porventura venham a se encontrar na Vila dos Atletas não só se abracem como registrem esse abraço nas redes sociais. Outra ideia pode ser colocada em prática no jogo de basquete entre os dois países, neste sábado. “Estamos estudando a possibilidade de que a seleção argentina entre em quadra com a bandeira do Brasil, e vice-versa”, revelou Mac Allister.

 

 

 

Luiz Lima citou sua própria experiência como atleta olímpico (nos Jogos de 2004, em Atenas, e 2008, em Pequim) para mostrar que entre os competidores dos dois países sempre houve uma aproximação, sobretudo em competições em outros países. “Essa afinidade sempre foi natural, de almoçar junto nas Vilas Olímpicas, por exemplo”, afirmou o ex-nadador. “Admiro muito a garra do argentino e o coração do brasileiro, e, sem brigas, tanto um como o outro ficam muito mais fortes”, avaliou o ex-atleta.

 

 

 

O Comitê Rio 2016 também produziu um vídeo sobre o tema. Para acessar, clique aqui. 

 

 

 
 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.