Carta de Conjuntura faz balanço da economia

Carta de Conjuntura
 

Publicação aborda variáveis como atividade econômica, emprego, inflação e finanças públicas. Ipea divulga também previsão para 2010 com crescimento superior a 5,5% 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulga a Carta de Conjuntura referente ao mês de março. A publicação trimestral do Instituto apresenta, como primeiro tópico de análise, o nível de atividade da economia. Pelo lado da demanda, observou-se um crescimento do consumo das famílias pelo 24º trimestre consecutivo no Brasil. Em relação ao desempenho do emprego, o cenário também é otimista. Em janeiro e fevereiro de 2010, os saldos de emprego formal atingiram os maiores níveis da série histórica para esses meses. 

A Carta de Conjuntura revela, ainda, que o ponto central para a definição dos rumos da inflação em 2010 será o comportamento das commodities. “Dessa forma, na ausência de choques nos preços das commodities, a tendência é de desaceleração nos IPCs ao longo do ano”, afirma o estudo.

 A avaliação da trajetória dos saldos comerciais brasileiros aponta que a tendência recente de queda é fruto, principalmente, do “dinamismo relativamente baixo das vendas externas de produtos manufaturados aliado à crescente penetração, nos mercados domésticos, das compras externas de bens duráveis e de insumos industriais”. A publicação traz, também, análises sobre economia monetária e financeira (política monetária e taxa de juros, mercado de capitais, mercado de crédito) e finanças públicas.  

Além da Carta de Conjuntura, a Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac) do Ipea apresentou nesta quinta-feira as Previsões Macroeconômicas para 2010 e a Avaliação das Previsões Macroeconômicas de 2009. Esta última revela os números definitivos da economia brasileira em 2009 e os compara com as previsões produzidas pelo Ipea ao longo do ano passado. O texto traz estimativas de desempenho da economia brasileira referentes a três variáveis: crescimento econômico (variação real do PIB); inflação (variação real do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA); e saldo em transações correntes. 

O Grupo de Análise e Previsões do Ipea aponta uma expectativa de crescimento do PIB, em 2010, da ordem de 5,5% a 6,5%. “Da expansão média prevista para este ano, quase a metade já estaria garantida, mesmo com o PIB ficando estagnado no nível dessazonalizado do quarto trimestre de 2009”, acrescenta a nota. Em relação ao saldo em transações correntes, a estimativa é de forte redução no comparativo com 2009, e o IPCA deve ficar na faixa de 4% a 5%.

Fonte: IPEA

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.