Choque de ordem na Lagoa Rodrigo de Freitas

Fiscalização derruba acréscimos construídos irregularmente
 

A Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop) demoliu, na manhã desta quinta-feira (9 de julho), acréscimos irregulares em quatro quiosques na localidade conhecida como Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Além da ocupação irregular do espaço público, a Vigilância Sanitária também encontrou cerca 250 quilos de alimentos impróprios para o consumo (data de valida vencida e ausência de rótulo). Os quiosques já tinham sido notificados este ano pela Prefeitura, mas continuaram a praticar a ilegalidade. Os quiosques que utilizavam forno também não tinham alvará do Corpo de Bombeiros.
O primeiro alvo da fiscalização foi o quiosque Mediterraneo, onde os agentes da prefeitura encontraram um forno à lenha construído em área ocupada irregularmente e montado bem próximo da tenda de lona que cobria o estabelecimento. Agentes da vigilância Sanitária encontraram 150 quilos de alimentos com validade vencida e sem rótulo, o que impede o reconhecimento de sua procedência (peixes e massa). Um balde de maionese foi encontrado aberto e com talheres dentro. O local também foi multado por falta de higiene em suas instalações. A cozinha do Mediteraneo funcionava a céu aberto. O quiosque foi interditado e o forno demolido.
O quiosque Gondola Café, segundo foco da fiscalização,também teve parte de sua estrutura derrubada por ter sido ocupada irregularmente em área pública. Um forno à lenha também foi demolido por estar fora dos padrões de segurança exigidos. Agentes da Vigilância Sanitária também encontraram 90 quilos de alimentos impróprios para o consumo e sem rótulo (frango, peixe, queijo e presunto).
Outros dois quiosques também tiveram seus acréscimos irregulares demolidos, o Arab da Lagoa e o Caipirinha e Filé. Neste último, a fiscalização encontrou 5 quilos de alimentos impróprios para o consumo e sem rótulo. Agentes da Vigilância Sanitária apreenderam os cárdápios do quiosque, ja´que os números de telefones da Inspeção Sanitária e da Saúde Pública estavam incorretos.        
– Estes quiosques praticavam uma ocupação absolutamente desordenada privatizando inclusive o espaço público. Alguns com fornos construídos próximo a materiais altamente inflamáveis. Estes exageros devem acabar. Vamos ordenar o mobiliário no entorno da Lagoa – afirmou Rodrigo Bethlem, secretário especial da Ordem Pública.    
Participaram da operação cerca de 50 pessoas entre agentes da Seop, Guarda Municipal, Vigilância Sanitária e da Secretaria municipal de Obras.

 

Fonte: Seop

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.