Dinheiro e Autoestima

      Outro dia conversava com 2 colegas sobre como economizar parte do salário. Para minha surpresa, ambos disseram que não conseguem guardar NADA. Perguntei a um terceiro colega em que ele investe parte de seu dinheiro e a resposta foi uma gargalhada:”Investir???ahahahahah. Só tenho dívidas”. Fiquei ainda mais chocada porque esta pessoa é[...]
 

 

 

 

Outro dia conversava com 2 colegas sobre como economizar parte do salário. Para minha surpresa, ambos disseram que não conseguem guardar NADA. Perguntei a um terceiro colega em que ele investe parte de seu dinheiro e a resposta foi uma gargalhada:”Investir???ahahahahah. Só tenho dívidas”. Fiquei ainda mais chocada porque esta pessoa é especialista na área de economia .Observando o ambiente, percebi que quase todos ( não cheguei a saber se todos) têm smartphones , comentam sobre férias no exterior, moram em bairros caros do Rio de Janeiro ( se é que ainda há algum local que se pode chamar de barato no Rio) comem fora com frequência, ou seja, dão sinais de que vivem  financeiramente ACIMA do se poderiam permitir. Um outro colega chegou a se confessar um viciado. Não pode ver um anúncio de que vão lançar um produto mais moderno que fica indócil e, geralmente, compra o produto pra não ficar “de fora da onda”.

Não é preciso ter MBA em Economia pra saber que a conta é fácil: não gaste mais do que você ganha. Qualquer dona de casa sabe disso. A conta é fácil, mas a questão não tão simples. Não sou psicanalista, mas arrisco a dizer que é necessário fazer um auto-análise ou mesmo pedir ajuda para tentar entender o motivo que leva alguém a não poder passar aolado de uma vitrine, ou ver anúncio de promoções.

A Sarah Ferguson , duquesa de York, declarou estar quebrada e vivendo de favor na casa do ex-marido, o príncipe Andrew no programa da Oprah. Há muitas perguntas que não foram respondidas e até o New York Times questionou as declarações da duquesa, mas a Suze Orman, famosa por seus conselhos sobre finanças pessoais, foi incisiva: seu principal problema, disse a especialista, é de auto-estima e não financeiro.

Sem querer ofender os meus colegas, me questiono se não estamos querendo viver uma realidade que não podemos, apenas para não destoar do resto?? Eu já vivi isto. Já passei por esta experiência. Já decorei casas esperando visitas que nunca vieram. As que apareceram estavam suficientemente confortáveis e não houve reclamações. Já comprei carros para mostrar que tinha um. Já gastei tanto, mas tanto dinheiro com roupas e salão ( meu Deus, quanto gastei com cabelereiro em VÀRIOS países) que hoje poderia montar um brechó, se já não tivesse me desfeito de tudo após tantas mudanças. E meu cabelo? Valeria ouro se pudesse calcular o quanto já “ investi” nele.

Enfim, não acho que se deva abrir mão do que gostamos, mas precisamos gostar do mais caro? do mais famoso, se não podemos pagar por isto? Precisamos provar o que para outras pessoas? Será que não estamos apenas pedindo para ser amados, aprovados?

Aliás, precisamos ser aprovados por quem mesmo????

 

 

AIBwomen

 

 

As mulheres estão mais do que nunca no controle de suas finanças e por isto estão tendo que enfrentar desafios significantes na hora de tomar decisões sobre como administrar seu dinheiro.

 

Acredito que toda mulher que trabalha,e está acima dos , digamos, 30 anos, já sentiu na pele esta necessidade . Uma pesquisa feita em 23 países comprova esta afirmação.

 

Uma empresa de seguros norte-americana, a Prudential, realiza a pesquisa a cada 2 anos, desde 2000. A deste ano (0u melhor biênio 2012=2013) revelou fatos interessantes:

 

 

 

Mais da metade ( 53%) das 1400 mulheres entrevistadas são chefes de família. Algumas porque os maridos perderam seus empregos por causa da crise financeira, ou porque se divorciaram ou decidiram não se casar tão cedo.

 

Um detalhe inovador nesta pesquisa: pela primeira vez os homens também foram ouvidos.

 

O Estudo procurou identificar o que difere homens e mulheres quanto à percepção sobre as questões financeiras, a maneira como lidam com dinheiro, seus objetivos e como anda a auto-confiança de ambos os sexos na hora de decidir como fazer render o seu dinheiro.

 

Apenas 23% das mulheres se sentem bem preparadas para gerenciar suas finanças.Entre os homens este número sobe para 45%.

 

Apenas 10% das mulheres que são chefes de família acreditam que conhecem bem sobre produtos e serviços financeiros . E somente a metade destes 10% , se sente bem preparada para tomar decisões mais inteligentes do que os homens nesta área especificamente.

E você sabe o que fazer com o seu dinheiro?

 É do tipo que gasta sem pensar, para se “compensar” de algo?

Conte-nos a sua experiência.

3 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. marilsa

    É amiga esta é a realidade de grande parte das pessoas , que só vivem de aparencias.

  2. bia

    Oi, minha querida colega da Facha, muito oportuno seu artigo, nestes tempos de redução de IPI e outras baboseiras.
    Você, como sempre, muito competente. Parabéns.

  3. Martha Dytz

    Puxa Cristina, gostei de ler seu artigo. Fiquei atenta até o final e não perdi o tema . Sua forma de redigir é leve , acho até que poderia escrever sobre muitos temas, ou quem sabe até algum livro se quisesse! Parabéns! Bjs Martha