Confronto na Cidade de Deus deixa mais de 6 mil alunos sem aulas no Rio

Durante a troca de tiros, uma das entradas da Linha Amarela, que leva ao aeroporto internacional Galeão, chegou a ser fechado levando caos ao trânsito
 
cdd

Informações da Secretaria Estadual de Educação, a partir de dados fornecidos pela 7ª Coordenadoria Regional de Educação indicam que cerca de 6,5 mil alunos, de 14 escolas, três creches e seis Espaços de Desenvolvimento Infantil, localizados na zona oeste da capital fluminense, ficaram sem aulas na manhã de sexta-feira, dia 3, em razão de confrontos entre policiais e traficantes da Cidade de Deus.

 

 13346665_498359513700508_5778702094193524764_n

 

De acordo com a polícia, os confrontos tiveram início na noite do dia 2 de junho à noite, após traficantes atacarem a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) localizada na região conhecida como Karatê, na comunidade da Cidade de Deus. Houve troca de tiros e um morador identificado como Márcio Silva foi atingido na testa por uma bala perdida. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde que, por telefone, adiantou que o homem deu entrada no Hospital Lourenço Jorge, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência e, mas passa bem e não corre risco de morte.

 

 

 

Após a troca de tiros, o policiamento na Cidade de Deus foi reforçado por equipes de agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque.

 

 

cdd

 

Na manhã desta sexta, policiais e funcionários da Comlurb desfizeram barricadas montadas durante a madrugada pelos traficantes. As informações da polícia indicam que a tentativa de invasão da UPP seria em represália à morte de uma sobrinha de um dos traficantes da Cidade de Deus. O corpo de Priscila Gonçalves foi encontrado cheio de tiros ainda na manhã do dia 2 de junho, quando o clima de tensão se instalou na comunidade. 

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.