Continua a procura por passageiros do Airbus A310

Continua a procura por passageiros do Airbus A310-300
 

Aeronaves francesas e norte-americanas se juntaram nesta quarta-feira às buscas por sobreviventes do acidente com um avião que caiu na costa do arquipélago de Comores, enquanto em Paris comorenses expatriados tentavam bloquear um voo da mesma companhia aérea que sofreu o acidente.
O Airbus A310-300 da Yemenia caiu no Oceano Índico na manhã de terça-feira (horário local) com 153 pessoas a bordo quando se aproximava do aeroporto de Moroni, capital de Comores. A aeronave fazia a última perna de uma viagem iniciada em Paris, que passou por Marselha e chegaria a Comores via Iêmen.
Somente uma sobrevivente — uma adolescente de 14 anos franco-comorense — foi encontrada no mar. "Até agora não encontramos nenhum outro sobrevivente, mas ainda não desistimos", disse o vice-presidente de Comores, Idi Nadhoim, à Reuters por telefone.
No momento em que várias embarcações deixavam a principal ilha do arquipélago ao amanhecer, expatriados comorenses tentavam impedir o check-in de passageiros que pretendiam embarcar para o Iêmen no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, segundo uma autoridade aeroportuária.
Cerca de 60 pessoas que deveriam embarcar nesse voo não fizeram o check-in, embora uma porta-voz não tenha conseguido afirmar se os protestos foram a causa ou se os passageiros decidiram não embarcar por alguma outra razão. Cerca de 100 pessoas realizaram o procedimento e o avião decolou.
A sobrevivente do desastre, identificada como Bakari Bahia, tinha cortes no rosto e uma clavícula fraturada. Ela foi encontrada durante os trabalhos de resgate na terça-feira.
"A saúde dela não está em perigo. Ela está muito calma dado o choque que sofreu", disse o cirurgião Ben Imani à Reuters no hospital El Marouf, em Moroni.
Sessenta e seis franceses estavam a bordo da aeronave, segundo autoridades em Paris. Embora a lista completa ainda não tenha sido divulgada, uma autoridade iemenita disse que também havia cidadãos de Canadá, Comores, Etiópia, Indonésia, Marrocos, dos territórios palestinos, das Filipinas e do Iêmen a bordo.

 

Fonte: Reuters

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.