Convergência Digital e conteúdos

Rio Info debate a importância de conteúdos de qualidade nos meios
 
Rio Info debate a importância de conteúdos de qualidade nos meios
Nesta quarta-feira (29/9) palestrantes falaram na Rio Info sobre a convergência digital e a importância de conteúdo nos meios de comunicação, principalmente com as várias plataformas que existem atualmente. Um dos principais assuntos abordados foi a tecnologia brasileira Ginga que faz grande sucesso no mercado internacional, mas que infelizmente não é amplamente utilizada nas redes do Brasil:
– A televisão pública está perdendo tempo, estamos muito atrasados quando comparamos com outros países, mas quero deixar bem claro que vamos continuar trabalhando para que o Ginga possa sim ser usado com eficiência, explicou Marcelo Moreno, professor da Universidade Federal de Juiz de Fora, e um dos pesquisadores do Ginga.
A televisão brasileira vem cada vez mais se preparando para esse momento, de acordo com Carlos Fini, da Emissora Globo, a empresa vem investindo na plataforma:
– Utilizamos o Ginga em nossas experiências, precisamos pensar sempre em conteúdos, pois a plataforma exige isso, a conectiva chega na cada das pessoas, os dispositivos são móveis por natureza, o nosso cenário atual é marcado pela diversidade, explicou.
Mas apesar do reconhecimento nacional o Ginga parece ainda não ter ganhado o seu espaço suficiente no Brasil:
– Saímos de um mundo analógico para um mundo digital, as pessoas dizem onde e quando querem assistir determinado conteúdo, eu já investi muito no Ginga, mas acho que o futuro dessa tecnologia é incerto, disse Salustiano Fagundes, falou HXD Interactive Television.
Os meios de comunicação estão investindo nas múltiplas plataformas com conteúdos diferenciados, para o especialista João Paulo Bruder, da IBC, empresa especializada em aplicativos, falou que o importante é parar de olhar para o dispositivo e prestar atenção no ecossistema, nesse caso o sistema operacional, modelo de vendas:
– Os vitoriosos será aqueles que trabalharem com três pilares, o usuário, o hardware e os aplicativos, a escolha dos usuários deve ser levada em consideração, os aplicativos precisam oferecer experiência para os usuários, falou ele.
Uma prova do uso dessas plataformas é a editora abril que trabalha em várias plataforma, como tablets, PCs e telefones.
Outro grande player do mercado é a Samsung, para a empresa investir nos sistemas abertos é a melhor solução:
– Gostamos de nos diferenciar, mas não queremos “brigar” com os desenvolvedores, queremos que eles sejam parceiros da Samsung, as decisões tecnológicas precisam ser estratégicas, comentou Samuel Vissoto, um dos responsáveis pela parte tecnológica da Samsung Brasil.

Fonte: Joici Souza – repórter

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.