Crédito imobiliário da Caixa aumenta

R$ 70 bilhões em 2010
 

Financiamentos atingem R$ 47,6  bilhões em setembro e já superam o valor aplicado em todo o ano passado 

A Caixa Econômica Federal acaba de bater mais um recorde em financiamento habitacional. Balanço do banco do último dia 3 de setembro mostra que o valor aplicado em habitação em 2010 (R$ 47,6 bilhões) já é maior que o montante atingido em todo o ano passado – R$ 47,05 bilhões. Se a comparação for com o mesmo período de 2009 – quando a CAIXA emprestou R$ 25,2 bilhões – o crescimento chega a 87,6%.  

O total aplicado até setembro também representa mais do que o dobro do valor emprestado para habitação em 2008 (R$ 23,3 bi), um crescimento de 103%. O balanço também mostra que o número de contratos de 2010 (778.717) já representa 86,2% do total atingido em 2009 (896.762). Atualmente, o banco empresta por dia mais de R$ 278,5 milhões para a casa própria, com mais de 4,5 mil contratos assinados.  

Para a presidenta do banco, Maria Fernanda Ramos Coelho, “mantido o ritmo atual de contratações, o crédito imobiliário da CAIXA deve atingir R$ 70 bilhões até o fim do ano. O volume registrado até agora, por si só, já é um resultado a ser comemorado. O mais importante é que não se trata de acontecimento sazonal ou isolado, mas, sim, de um ciclo virtuoso sustentável”, afirmou. 

Do valor total aplicado pela CAIXA, R$ 21,4 bilhões tiveram como fonte de recursos a caderneta de poupança e R$ 20,7 bilhões são do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços – FGTS. O restante vem de outras fontes.  

Conforme ressaltou o vice-presidente da Caixa, Jorge Hereda, “a forte expansão do setor imobiliário, iniciada principalmente em 2004, foi construída sob uma base sólida. Em termos microeconômicos, isso ocorreu, por exemplo, com as melhorias da segurança jurídica (alienação fiduciária, lei do incontroverso, patrimônio de afetação), respeito à lei de responsabilidade fiscal por meio da opção pelo subsídio explícito e focado na família e não no imóvel, maior transparência na relação entre credores e devedores e regulação focada na qualidade e segurança dos créditos”.  

“Em termos macroeconômicos, segundo ele,  essa mesma expansão trouxe ainda a melhoria dos processos operacionais, como, por exemplo, a redução da taxa de juros e o crescimento da renda e do emprego”, concluiu Hereda.  

Programa Minha Casa Minha Vida – PMCMV 

Desde a criação do programa, em abril de 2009, foram contratadas  630.886 mil unidades habitacionais  no valor de R$ 35,85 bilhões. As propostas de empreendimentos que estão em análise pelo banco chegam a 418.860 moradias, que, somadas às já contratadas, perfazem 1.044.276 unidades. Considerando apenas 2010, o número de contratos corresponde a 355.358 moradias no valor de R$ 21,8 bilhões.

 

Números de São Paulo 

No Estado de São Paulo, o montante financiado pela Caixa em 2010 para a casa própria já chegou a R$ 12,8 bilhões, dos quais R$ 8,15 bilhões foram investidos no programa MCMV. 170.132 famílias paulistas foram beneficiadas ao todo, sendo 125.103 pelo MCMV. Os empréstimos no período de janeiro a 03.09.2010 superaram todo o volume registrado no ano de 2009, que foi de R$ 12,1 bilhões. Mantido esse ritmo até o final do ano, a expectativa em torno do volume habitacional da Caixa em São Paulo superará os R$ 18 bilhões. 

 

 Simulador Habitacional 

O interesse das pessoas em adquirir um imóvel próprio pode ser verificado pelos números registrados no simulador habitacional da CAIXA na internet, disponível em www.caixa.gov.br. Para se ter uma ideia,  em agosto/2010 foram mais de  17,7  milhões de simulações, em  4,4  milhões de acessos,  números  5% e  10% maiores do que em  julho  de 2010, respectivamente. 

Fonte: Caixa Econômica Federal

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.