Crítica do filme: Arranha-Céu: Coragem sem Limite

Ação, leve suspense e bons efeitos especiais na telona
 
Por Graça Paes, RJ
 
 
 
 
Com a direção de Rawson Marshall Thurber e com o astro Dwayne Johnson, Neve Campbell, Chin Han, entre outros, no elenco. O longa, que estreia dia 12 de julho, nos cinemas, conta a história de Will Sawyer, um ex-líder de operação de resgate do FBI, amputado, que se torna avalista de segurança de arranha-céus. Em missão em Hong Kong, na China, no edifício mais alto do mundo, e que seria o mais seguro. Até que ele ao apresentar seu trabalho no local, se depara com um incêndio, e acaba sendo culpado por isso.
 
 
 
No longa, Will, além de se proteger, e proteger sua família, que está com ele no edifício, passa a procurar os
responsáveis pelo incêndio, já que tentam incriminá-lo, e ele além de tentar provar sua inocência, tenta de todas as formas resgatar sua família.  A partir daí, suspense, ação e muita emoção você irá encontrar em uma hora e trinta minutos na telona.
  
 
 
Como todo filme que tem Dwayne “The Rock” Johnson no elenco já podemos esperar boas cenas. Seu carisma e sua performance sempre roubam as atenções e seguram o espectador.  O astro é um show man. E ele carrega público as salas de cinema, fato raro atualmente, onde quem atrai bilheteria são as franquias. Mas, Dwayne “The Rock” Johnson, repete o sucesso de seus antecessores nos filmes de ação, como Stallone, Schwarzenegger e Van Damme, que eram as estrelas entre os anos 80 e 90. E, neste longa, mais uma vez, ele é o filme. Suas cenas são magníficas, e ele dá um show ao dar vida a um ex-militar amputado.
 
 
 
O filme tem uma excelente trilha sonora, uma boa fotografia, excelentes efeitos especiais, algumas cenas que se destacam, um leve suspense, mas, sem nada de extraordinário.
 
 
Resumindo, é um filme de incêndio, que irá te fazer lembrar de outros filmes, como ‘Inferno na torre’, que tem temática semelhante, assim como remete a filmes de ação, como Duro de Matar.
 
 
Arranha céu: Coragem sem Limite tem como cenário um prédio considerado o maior do mundo. O local é todo informatizado, fato este, que nos mostra que a tecnologia que nos ajuda também pode nos atrapalhar e nos colocar em enrascadas. E, no meio deste incêndio temos um vilão, um mocinho e a família do mocinho. Claro que o mocinho, The Rock, durante toda a história, vai passar por muitas situações e fará de tudo para salvar a sua família e quem mais ele conseguir.
 
 
É um filme bom, excelente para ir assistir com a família. Nos leva a refletir sobre o amor incondicional, o que geralmente encontramos entre pais e filhos, sobre a volta por cima em caso de tragédias, já que no longa temos a  amputação da perna do personagem de The Rock, que supera, a tragédia,  e dá a volta por cima. E, também nos faz refletir sobre o uso da tecnologia, até que ponto nos ajuda e até que ponto nos atrapalha.
 
 
Não é espetacular, mas é um bom filme. O primeiro ato é um pouco lento, mas depois o filme tem ritmo. Se
prepare para assistir boas cenas, mas com clichês, e para assistir alguns personagens bem caricatos, mas o diretor e a produção acertam no que se refere aos efeitos especiais. E, é claro tem Dwayne “The Rock” Johnson no elenco, o que certamente já nos faz querer ir ao cinema para assistir.
 
 
A Agência Zapp News já assistiu e nossa nota é 9.
 
 
 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.