Crítica do filme: Deadpool 2

O filme estreia dia 17 de maio e a classificação etária mudou para 16 anos
 

Por Graça Paes, RJ  (Agência Zapp News)  

 

Com direção de David Leitch, música de Tyler Bates e uma mega produção que incluiu a 20th Century Fox, Marvel Entertainment, Genre Films e The Donners’ Company a sequência de Deadpool tem no roteiro Ryan Reynolds, Paul Wernick, Rhett Reese, Rob Liefeld, Fabian Nicieza.

 

 

 

Em Deadpool 2, Ryan Reynolds volta ao papel principal, Zazie Beetz faz Dominó e Josh Brolin é o Cable. Os roteiristas do original Rhett Reese e Paul Wernick continuaram envolvidos no projeto. O filme, apesar do teor cômico, tem realmente cenas e termos fortes, o que levou a censura a faixa dos 18 anos, mas que depois foi alterada para 16.

 

 

Nesta sequência, o herói, que não é politicamente correto, está um pouco emotivo, mas continua cheio de modos questionáveis e muito falante, e irá aprontar muito mais. Se prepare!!! Também teremos neste filme novos mutantes, tanto aliados quanto vilões.  Além da bela Morena Baccarin, o filme conta com um time de mutantes. Entre eles Zeitgeist que tem bafo ácido. Bedlam que tem músculos e poderes de eletricidade e Shatterstar  um alienígena muito bonito e lutador de karatê que vem do espaço. 

 

 

Tem também, o Cable de Josh Brolin. Mas quem é Cable?

 

Ele estreou nos quadrinhos para liderar os Novos Mutantes em uma equipe proativa, mais agressiva. O intuito seria evitar um futuro sombrio, de onde o próprio Cable tinha vindo. E, anos depois, estes Novos Mutantes viriam a se tornar a primeira formação da X-Force.  Cable tem habilidades telecinéticas e um único olho que são heranças de seus pais. Parte de seu corpo é cibernético, por conta de um vírus tecnorgânico. Ele é filho do Ciclope, com Madelyne Pryor. Seus pais para evitar que Cable morresse precisaram enviar ele para o futuro, onde ele poderia ser tratado do virús e se tornar o importante líder de uma rebelião que salvaria a vida dos mutantes. Depois, disso, o personagem cresceu e passou a ter uma posição importante no cantinho dos X-Men, sempre com aparições significativas nas sagas anuais dos Filhos do Átomo. E, agora com espaço em Deadpool 2.

 

 

Tecnicamente falando o filme é bom. Uma boa fotografia. Um roteiro atraente. Trilha sonora na medida. Bem dirigido, bem produzido, apresenta um humor com novidades que e é bem balanceado com as cenas de seriedade. A trama também nos apresenta novos personagens e nos remete a várias outras produções.

 

 

As cenas de ação são muito boas com detalhes para os embates entre Cable e Deadpool. Os enquadramentos são perfeitos com muito destaque visual. Os efeitos especiais são bons, mas nada de extraordinário.

 

 

O filme te prenderá na poltrona. Se você não assistiu o primeiro filme, a dica é assista, pois é uma continuação e alguns fatos são relevantes. E, outro detalhe, aguarde um pouco na sala de cinema, pois tem cenas pós crédito.

 

Escolher salas como Imax, XPlus Laser e outras com melhor qualidade de som e imagem também são boas apostas. O longa merece.

 

 

A estreia é na quinta dia 17 de maio.

A Agência Zapp News já assistiu e deu nota 10.

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.