Crítica: Filme ‘Extraordinário’

O nome do filme já traduz o que é o longa
 

Por Graça Paes, RJ 

 

23353055

 

Passeando pelo drama e pela comédia o longa ‘Extraordinário’ nos leva de uma forma bem leve e educativa a reflexão sobre o bullyng e o preconceito. Um filme surpreendente que nos leva a lágrimas não tem jeito. É muito marcante.

 

60418-menino

 

O filme é baseado no romance de R. J. Palacio, e muito bem dirigido por Stephen Chbosky aborda a história de um menino que nasceu com síndrome de Treacher-Collins, uma má formação craniofacial congênita. Quando o filme começa, o garoto já foi operado 27 vezes e, após anos sendo educado em casa pela mãe e saindo à rua sempre com um capacete de astronauta, ele tem que encarar uma escola, colegas e suas impressões sobre ele, que tem características físicas que o difere dos demais. Em um dos trechos do longa nos deparamos com esta afirmação: “Quando eu estava na barriga da minha mãe, ninguém tinha nem ideia de que eu iria nascer com esta cara”, diz o protagonista.  

 

jacob-tremblay-extraordinario

 

O filme nos leva a muitas reflexões e toca fundo a alma. Este é um dos motivos do choro, que pode ter certeza, certamente virá ao longo da história. Por mais forte e centrado que você seja, não tem jeito.

 

jacob-tremblay_03

 

O filme nos remete, mesmo sem queremos, aos anos que passaram de “Uma linda mulher”, 27 anos, para ser mais precisa, e nos leva a imaginar que aquela linda mulher, Julia Roberts, ficou mais velha e agora é a mãe deste magnífico garotinho, o pequeno Auggie, brilhantemente interpretado por Jacob Tremblay, digno de Oscar. Que ternura e leveza o ator deu a um personagem tão complexo. Julia Roberts, como sempre impecável, emocionante, totalmente entregue. O mesmo não podemos dizer de Owen Wilson, que faz o pai do protagonista, como sempre mediano, mais uma vez, como já aconteceu em alguns filmes em que ele participou, ele não tem grande destaque na trama.

 

w-d03-00499-lola-v001-c

 

Vários tipos de preconceitos são sabiamente abordados na trama. Sendo que o ápice da história é mesmo o pequeno Auggie. Outro ponto que merece destaque é a maquiagem que dá todo o gás a história.

 

A nota da Agência Zapp News é 9, 0.

Nos cinemas dia 7 de dezembro. 

 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.