Crivella devolve Passeio Público à população do Rio

A reabertura do parque faz parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente da Prefeitura
 
 

Fotos: Edvaldo Reis e Roberto Ferreira

 

 

Na manhã de quinta-feira, dia 8 de junho, o Passeio Público foi reaberto, após reformas. O espaço estava fechado desde o final de 2016. Localizado entre a Lapa e a Cinelândia, o tradicional parque urbano no Centro histórico da cidade, recebeu nova pintura, corte de grama, troca de luminárias, plantio de novas mudas e restauração de  alguns monumentos.

– É um patrimônio da cidade, não pode ficar fechado nunca. A reabertura dessa praça é apenas um pequeno passo dentro do nosso sonho, que é deixar um meio ambiente muito melhor ao final do mandato – disse Crivella.

 

 

O secretário Municipal de Conservação e Meio Ambiente, Rubens Teixeira, contou que recebeu um desafio do prefeito: pegar uma cidade linda e deixá-la mais bonita ainda.

– Vamos continuar cumprindo nossa missão, que é cuidar de gente. Quando cuidamos do meio ambiente, cuidamos do futuro de nossas gerações – comentou o secretário.

 

 

O presidente da Fundação Parques e Jardins, João Carlos Mariano, ressaltou a importância histórica do local, realçada pelas obras de Mestre Valentim.

– É muito mais que a reabertura de um parque. Estamos devolvendo uma joia para a nossa cidade – disse o presidente Fundação, órgão que administra o parque.

 

 

 

O secretário Estadual de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes, também prestigiou o evento.  Ele elogiou a iniciativa do prefeito:

 

– A gente precisa fazer um esforço para levar esse projeto de excelência para outras regiões da cidade e do estado. Manter uma área como essa mostra que, quando a Prefeitura se faz presente, dá um ânimo para as pessoas voltarem a utilizar o parque.

 

Além de funcionários da Fundação Parques e Jardins, as obras tiveram a participação de equipes da Comlurb e da Rioluz. Uma parceria da Prefeitura com a Fundação Santa Cabrini também permitiu que 25 presos em regime semi-aberto pudessem trabalhar na reforma do Passeio Público.

 

 

A Prefeitura montou no local uma ação social com prestação de serviços como orientação jurídica, emissão de carteira de identidade, corte de cabelo, além de atividades socioeducativas com crianças, educação ambiental e distribuição de mudas de plantas, entre outros.

 

História – Inspirado no parque de Lisboa e nos jardins do Palácio Real de Queluz, o Passeio Público do Rio de Janeiro é o primeiro parque ajardinado do Brasil e o primeiro parque público das Américas. Ele foi construído entre os anos de 1779 e 1783, a partir do projeto concebido por um dos maiores artistas do período colonial brasileiro: Mestre Valentim.

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.