Delegacia de Homicídios será retirada da Barra

José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança, garantiu a transferência
 
José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança, garantiu a transferência
O Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, participou de uma palestra realizada na terça-feira (13/9) na Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, na ocasião Beltrame falou sobre a transferência da Delegacia de Homicídios, reivindicação da população, e foi aplaudido ao garantir a sua retirada:
 
– Eu garanto que a Delegacia de Homicídios será transferida da Barra da Tijuca, apesar de lamentar a decisão, hoje a instituição é formada por diversos serviços e considero o bairro um local estratégico, mas vamos atender o pedido da população, falou o secretário.
 
Outro ponto abordado durante o evento foi o crescimento da Barra, para o secretário, esse crescimento é preocupante, apesar de não ser desordenado, hoje em dia existem muitos prédios no bairro, logo é necessário uma análise criteriosa, para ele a Barra forma pequenas cidades, e isso tem um impacto no transporte, na saúde e na segurança da região.  Sobre as medidas de segurança do bairro, o secretário disse que as ações mais pontuais precisam ser realizadas pelas entidades locais, sob sua responsabilidade estão as estratégias para essas ações, uma das medidas para garantir a segurança da população são as metas estabelecidas pela secretaria para cada quadrante da cidade:
 
– Hoje temos uma politica de integração, cada instituição tem uma meta na diminuição de assaltos, homicídios, roubos, quando essa meta não é cumprida, sentamos e conversamos, a fim de saber o que fazer, comentou Beltrame.
 
Sobre as políticas de pacificação e implantação das UPPs, Beltrame falou sobre os problemas enfrentados, para ele o Rio hoje é formado por dois pilares, é uma cidade partida, logo cada um deve ser tratado dentro das suas necessidades, as favelas, nas palavras do secretário, são as áreas mais conflagradas, por isso a UPP, já no asfalto temos as metas para diminuir a violência:
 
– O que temos que fazer hoje é integrar esses dois pilares, a Cidade de Deus, por exemplo, é Jacarepaguá,  e não somente Cidade de Deus, hoje é possível entrar e oferecer políticas públicas nessa região, claro que ainda existem drogas, onde houver viciado e dinheiro, haverá a venda de drogas, mas isso existe em toda cidade, inclusive no asfalto, pois o usuário é um doente, disse ele.
Para José Mariano Beltrame, o sucesso das UPPs pode ser medido nas estatísticas, para ele não existe uma receita milagrosa, afinal foram anos de domínio do tráfico:
 
– Foram 18 meses criando planos para combater a violência, desse estudo nasceu o sistema de metas e as UPPs, na prática cada Unidade de Polícia Pacificadora é diferente da outra, precisa adotar as peculiaridades de cada região, outro problema foi o cronograma de formação de policias que antes não existia, hoje já temos esse controle, a média é de 500 a cada mês, saindo e entrando, já temos a previsão de quantos policias serão formados em 2012, falou Beltrame.
 
Outro ponto da palestra foi a questão de políticas públicas, para Beltrame, quando a polícia se estabelece entra a 2ª fase do processo, “ levar dignidade e desenvolvimento” para os moradores da região, para ele essa é a medida mais importante:
 
– Quanto mais dignidade, menos a polícia é solicitada, e aos poucos vai terminando o conceito de cidade partida, 99% dos problemas se resolve com ações sociais, afinal foram 40 anos de tráfico e oito meses de UPP, comentou Beltrame.
 
Fizeram parte da mesa ao lado do Secretário de Segurança, o Dr. Fernando Reis (delegado da 16º DP), Cléo Pagliosa (31º CCS), Delair Dumbrosck (presidente da Câmara Comunitária da Barra), Ten. Cel. Gaspar (31º BPM).

Fonte: Joici Souza – repórter AIB

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.