Desapropriação no Morro do Céu

Desapropriação no Morro do Céu
 

Pelo menos 200 casas em situação de risco no morro do Céu, em Niterói, serão desapropriadas até o final de maio. Foi o que disse a secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, que esteve ontem (19/04) no morro do Bumba, em Niterói, para acompanhar a retirada do lixo da comunidade. Segundo a secretária. a remoção das famílias começará pelas que residem nas áreas mais críticas.
– O cadastro dessas famílias terminou no último sábado e durante a semana que vem, a situação de cada uma dessas residências será analisada. As famílias que se encontrarem em situação grave serão indenizadas e desocuparão as áreas de risco até o final de maio – afirmou Marilene Ramos, destacando que todo o aterro do morro do Céu passará por processo de estabilização do solo, devendo voltar a receber o lixo dentro de 30 dias.

– Por enquanto, o aterro continuará fechado e todo lixo de Niterói será levado para Itaoca por mais 30 dias – acrescentou a secretária.

Desde o deslizamento de terra, que soterrou cerca de 40 casas no morro do Bumba, mais de 1000 viagens de caminhão já foram feitas e 17 mil toneladas de terra e entulho já foram retiradas e despejadas no aterro de Itaóca. A retirada do material, de acordo com Marilene Ramos, inda deve durar mais duas semanas, mas vai depender do ritmo das buscas por corpos no local.

De acordo com a secretária, a Prefeitura de Niterói garantiu que vai ajudar a recuperar os acessos ao aterro de Itaoca, cujas vias estão sofrendo sobrecarga devido ao despejo do lixo produzido em Niterói e também do proveniente dos deslizamentos de terra no morro do Bumba.

Um levantamento feito pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e pela Prefeitura do Rio, revelou que o Estado do Rio tem hoje pelo menos 98 lixões irregulares em operação e 12 inativos. Marilene Ramos disse ainda que o Governo do Estado tem um projeto para erradicar todos os lixões num prazo de três anos.

Fonte: Secretaria do Ambiente

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.