Dois novos inventos para uso doméstico

Inovação e criatividade
 

Misturar sucos com facilidade, na própria jarra, sem a necessidade de abri-la ou de usar colheres de cabo longo já é possível com a Jarra com Misturador. Abrir aqueles sachês de ketchup, maionese, mostarda e azeite, oferecidos em restaurantes, agora fica mais fácil com o Porta-guardanapo com Cortador de Sachês. Ambos foram criados por pessoas que procuravam soluções para pequenos problemas que surgem no momento da refeição, em casa e na lanchonete.
 
  Jarra com misturador – O dispositivo inventado pelo administrador de empresas Paulo Roberto Matsura, é uma manivela que, introduzida em jarra, possibilita perfeita homogeneização de sucos e refrescos, dando praticidade ao preparo e ao consumo. O invento participou, em agosto do ano passado, do estande da AssociaçãoNacional dos Inventores na Expolic – Feira Internacional de Licenciamento. É o próprio Matsura quem explica: “O princípio básico é o mesmo de uma pipoqueira manual, em cujo mecanismo me inspirei para a criação”.
 
Grande apreciador de sucos prontos e de refrescos em pó, Matsura – que mora e trabalha na capital paulista – percebia que essas bebidas, depois de certo tempo, exigiam que se introduzisse na jarra uma colher para misturá-las novamente. “Além de precisar ter cabo comprido, também exigia que se tirasse e recolocasse a tampa, e que se tivesse um local apropriado para colocá-la, problema agravado, por exemplo, num escritório. Com a Jarra com Misturador, tudo fica mais prático”, relata.
 
O invento tem patente nacional, e a expectativa de Matsura é negociar a produção com uma indústria de utilidades domésticas, recebendo royalties por sua comercialização.
 
   Porta-guardanapo com cortador de sachê – O objetivo do invento da servidora pública paranaense Elis Regina Costa é facilitar a abertura de sachês de condimentos. “Meu marido e eu, lanchando, tínhamos de recorrer até aos dentes para abrir sachês de ketchup e mostarda. Além de nada higiênico, o ato muitas vezes causava respingos na roupa, transformando a refeição num transtorno. Numa ocasião em que vimos uma professora sujar toda a roupa, começamos a pensar em algo que facilitasse a abertura desses ‘terríveis saquinhos’, e que teria também de ser algo prático e funcional, nada fácil de levar embora como suvenir”, conta. As imagens mostram o objeto original, que deu origem ao projeto, e o protótipo virtual.
 
Assim foi criado o Porta-guardanapo com Cortador de Sachês, que adiciona uma função ao objeto que simplesmente armazenaria guardanapos. O dispositivo possui uma fenda na qual se coloca o sachê de condimentos que, para ser cortado – sem sujeira e com praticidade e higiene –, basta que se acione o botão da guilhotina.
 
Elis Regina tem grandes expectativas quanto ao invento, inclusive quanto a acabar com as anti-higiênicas bisnagas de condimentos – cuja procedência e limpeza são muitas vezes duvidosas. Com patentes nacional e internacional, ela está aberta a propostas de fabricação e negociação de royalties.
 
Empresários interessados nos produtos devem entrar em contato com a Associação Nacional dos Inventores pelo telefone (11) 3873-3211.
 
Serviço:
 
Nome do invento: Jarra com misturador
Breve descrição do invento: O dispositivo constitui-se de uma manivela introduzida numa jarra, que permite perfeita homogeneização de sucos – naturais ou em pó –, na hora do preparo e do consumo.
Inventor: Paulo Roberto Matsura
Cidade: São Paulo – SP
Protótipo: Físico, exposto no Museu das Invenções da Associação Nacional dos Inventores
 
Nome do invento: Porta-guardanapo com cortador de sachê
Breve descrição do invento: O dispositivo, acoplado a um porta-guardanapo, possui uma fenda na qual se introduz o sachê de condimentos, que tem uma guilhotina que funciona ao se acionar um botão, permitindo a abertura do sachê com higiene e praticidade.
Inventor: Elis Regina Rodrigues Costa
Cidade: Francisco Beltrão – PR
Protótipo: Virtual e físico, exposto no Museu das Invenções da Associação Nacional dos Inventores
 
Sobre a Associação Nacional dos Inventores
 
Tudo começa com uma boa ideia na cabeça.Depois do desenvolvimento de um protótipo e da realização de testes, o inventor tem a certeza de que o fruto daquela boa ideia vai melhorar a vida de muitas pessoas. A partir daí, muitos deles se perguntam: “O que fazer agora?”.
 
A Associação Nacional dos Inventores (ANI) foi criada exatamente para que as invenções brasileiras sirvam a toda a sociedade e para estimular os inventores a continuar se dedicando à descoberta de novidades. “Nosso papel é incentivar e popularizar as inovações tecnológicas no País”, afirma o presidente e fundador da entidade, Carlos Mazzei. “Trabalhamos na orientação e regularização das patentes de projetos e na posterior comercialização dos inventos em escala industrial.”
 
Mazzei, também conhecido como “empresário dos inventores”, dedica-se integralmente à busca pelo reconhecimento dos inventos brasileiros. “Quando se fala em invenção, muitos pensam apenas em projetos ‘malucos’. Eles também existem, mas anualmente, são desenvolvidos diversos produtos e soluções para os problemas cotidianos.”
 
Muitos projetos de extrema importância ainda aguardam investidores decididos a produzi-los em escala industrial. Outros já estão no mercado, trazendo bons lucros a quem os criou.

Fonte: Em Pauta Comunicação

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.