Duas pessoas foram presas em postos do Detran

Duas pessoas foram presas em postos do Detran
 

Uma funcionária do Detran foi presa em flagrante, hoje (13/7), em Maricá, por vender, a R$ 25, gratuidade para a obtenção da segunda via da carteira de identidade. Em Barra Mansa, a polícia foi acionada após uma funcionária ser vítima de racismo, na unidade do departamento que também presta serviços de identificação civil.
Em Maricá, Norma Helena Mendes, que trabalhava no posto do Detran no município, foi encaminhada por agentes da Corregedoria à 82ª DP (Maricá) e deverá responder pelo crime de corrupção ativa. A funcionária conseguiria solicitar a emissão da segunda via da identidade a custo zero mesmo para quem não tinha direito à isenção de taxa. Ela convenceria os usuários de que o esquema era vantajoso. No Estado do Rio, apenas pessoas de baixa renda têm a gratuidade garantida. Para os demais usuários, o documento é emitido a R$ 24,36, menos, portanto, do que o valor cobrado por Norma Helena. A diferença é que, ao invés de o dinheiro ir para os cofres públicos, seria embolsado pela funcionária.
Já em Barra Mansa, uma usuária que desejava tirar a segunda via do documento, na tarde de hoje, disse que não seria atendida por “uma crioula”. Na primeira etapa da retirada da carteira, a requerente foi atendida por uma funcionária que a orientou a preencher o pedido do documento e a fazer a foto. Quando passou para a etapa de coleta digital, outra atendente a recebeu e, neste momento, ela disse que “pagaria” para a funcionária anterior, “aquela branquinha”, continuar lhe atendendo. Os responsáveis pela unidade de serviço chamaram a polícia. O caso foi registrado na delegacia de Barra Mansa.
Fonte: Detran

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.