Estações Cantagalo e General Osório fecham para obras

Interdições irão durar 15 dias em Copacabana e dez meses em Ipanema
 

 

O secretário-chefe da Casa Civil, Regis Fichtner, anunciou, em entrevista coletiva no Palácio Guanabara, na quinta-feira (21/2), o fechamento das estações Cantagalo e General Osório para as obras de interligação da nova plataforma da Estação General Osório ao túnel das linhas 1 e 2 do metrô. Além de aumentar a capacidade, a nova plataforma vai permitir a conexão entre as linhas 1 e 4 sem necessidade de baldeação. Por conta disso, a Estação Cantagalo ficará fechada por 15 dias e a General Osório, por aproximadamente dez meses. As interdições acontecerão neste sábado (23/2).

 

Durante o período de obras, a Linha Extensão Metrô na Superfície, que atualmente sai da Estação Ipanema/General Osório sentido Gávea, e a linha de ônibus 525 (antiga Barra Expresso) serão transferidas para a Estação Siqueira Campos. Os pontos de parada das linhas não serão modificados.

 

Com o remanejamento dos ônibus para a Siqueira Campos, a ciclovia localizada na Rua Figueiredo Magalhães – entre as ruas Tonelero e Capelão Álvares da Silva – passará do lado direito para o lado esquerdo da via. Haverá também alteração da localização de um ponto de táxi na Siqueira Campos para implantação de ponto provisório para embarque de passageiros dessas linhas de ônibus.

 

A estação Cantagalo será reaberta, em março, com um trem fazendo o trajeto Cantagalo – Siqueira Campos – Cantagalo. Assim, os passageiros que embarcarem na Cantagalo e quiserem seguir para a Zona Norte precisarão desembarcar na plataforma Siqueira Campos e trocar de trem. A operação se manterá desta forma até a conclusão das obras e a reabertura da Estação General Osório.

 

– Não é possível fazer interligação de trilhos e sistemas sem haver interrupção do funcionamento das estações. Por dez meses vamos ter que fazer esse sacrifício, mas após a conclusão das obras, os benefícios para a população serão muito maiores. Será um esforço enorme, mas fundamental não somente para o projeto Olímpico, como também para melhorar a qualidade de vida das pessoas e a mobilidade na cidade – explicou Fichtner, durante entrevista, que também contou com a participação do secretário de Transportes, Julio Lopes, do secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, e do diretor de engenharia da concessionária Metrô Rio, Joubert Flores.

 

A partir de 2016, a Linha 4 do Metrô transportará mais de 300 mil passageiros por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Com 16 quilômetros de extensão, a nova linha será composta por seis estações (Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, São Conrado, Gávea e Jardim Oceânico) e deverá realizar o trajeto Barra-Ipanema em apenas 15 minutos e o Barra-Tijuca, em 50 minutos.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.