Foi divulgada “Carta de Poços de Caldas”

Foi divulgada "Carta de Poços de Caldas"
 

Foi realizado em Poços de Caldas (MG), no último dia 27, a comemoração dos 50 anos de fundação da Associação Sul Mineira de Imprensa – ASI. Concomitante ao evento, aconteceu o 9° Ciclo de Conferências da Imprensa Brasileira, promovido pela Federação Nacional da Imprensa -Fenai-Faibra.

O programa, que incluiu ainda o 14º Encontro Nacional de Associações de Imprensa – ENAI, assinalou a presença de representantes das principais associações de imprensa do país, que estiveram sob a chancela da Fenai-Faibra, atualmente presidida pelo jornalista J.H. de Oliveira Júnior.

A abertura contou com presença de autoridades civis e militares, que compuseram a mesa. Após o lançamento, pelos Correios do selo do cinqüentenário da ASI, foram entregues troféus, especialmente desenvolvidos pela Cristais São Marcos e diplomas, aos órgãos de Imprensa, associações, homenageados e autoridades.

No sábado, nomes de destaque realizaram palestras e foram discutidas as restrições à Liberdade de Imprensa no Brasil e no mundo, desde a recente censura imposta ao “Estadão” sobre o caso Fernando Sarney, que completou, em 31 de março, 242 dias, até a dependência econômica dos órgãos de comunicação impressa e eletrônica em geral aos humores dos governos federal, estaduais e municipais, detentores de grandes verbas publicitárias.

A Carta de Poços de Caldas, que encerrou o ciclo de debates aponta caminhos para redução das distorções que se verificam na Imprensa Brasileira e defende a Liberdade de Expressão, pois sem esta não há liberdade política e nem democracia.

O presidente da Fenai-Faibra, Oliveira Júnior, defende uma legislação que permita a completa isenção de impostos, na forma de imunidade tributária e fiscal, para os órgãos privados de comunicação, sem o que, como acredita as pequenas, médias e "grandes" empresas não terão a menor chance de continuar sobrevivendo ao massacre exercido atualmente pelas empresas oficiais e estrangeiras.

No final da tarde de sábado, foi inaugurado o monumento que marca o cinqüentenário da ASI, criado pelo arquiteto Osmero Pelegrinelli Junior com a presença do prefeito Paulo Cesar Silva, na Praça D. Pedro II. “Parabenizo a ASI pelo cinquentenário e a imprensa atuante de Poços de Caldas. É um marco em nossa história”, disse o prefeito.

O presidente da ASI, Gilberto Immese, agradeceu a presença das ilustres personalidades e militantes da Imprensa local e nacional.

A organização ficou à cargo da Prisma Eventos e contou com parceria da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas.

CARTA DE POÇOS DE CALDAS

Profissionais e empresários de comunicação reunidos em Poços de Caldas, Estado de Minas Gerais, por ocasião do 14º Encontro Nacional de Associações de Imprensa e 9º Ciclo de Conferências da Imprensa Brasileira, divulgam o documento Carta de Poços de Caldas:

1. Condenando as perseguições, prisões e execuções de jornalistas em Cuba, Coréia do Norte e Irã e invasões de redações na Argentina e Venezuela, em frontal violação ao direito fundamental da Liberdade de Expressão, que constitui a base da instituição democrática e dos princípios morais e éticos da Cidadania e da evolução dos Povos.

2. Denunciando as sentenças pecuniárias nas esferas judiciárias, que coloquem em risco de extinção as empresas de comunicação impressa e eletrônica que não dispõem de condições estruturais e recursos financeiros para arcar com o pagamento de quantias exorbitantes determinado por sentenças motivadas, freqüentemente, por intervenções políticas e ou ideológicas.

3. Manifestando sua apreensão diante da alta carga tributária, embutida em produtos e serviços, que pesa sobre o Povo brasileiro, condenado A trabalhar cinco ou mais meses do ano para servir ao Estado, sem que receba equivalente contrapartida nas áreas da educação, segurança e saúde, que se encontram relegadas ao abandono e descaso por parte do poder público em todas as  suas esferas: municipal, estadual e federal.

4. Salientando seu repúdio a qualquer forma de ação governamental e parlamentar que venha  a contribuir para a restrição da Liberdade de Imprensa e de Expressão, inclusa a ação embutida  em supostos e aparentes mecanismos de defesa dos direitos humanos e da regulamentação do exercício da profissão de jornalista.

5. Registrando sua preocupação com a política externa brasileira, no tocante à quebra dos princípios tradicionais da não-intervenção em assuntos internos de outros Estados, do não-alinhamento automático, do ecumenismo e do pragmatismo responsável, em detrimento da soberania brasileira e da projeção do poder nacional em face da manipulação da imagem do Brasil ao sabor de interesses políticos-partidários e ideológicos, além da busca de objetivos apartados dos anseios, interesses e reivindicações da sociedade brasileira em geral.

6. Denunciando a concorrência desleal e sufocante que sofre a Imprensa Brasileira, imposta pelas empresas midiáticas estrangeiras, que são subsidiadas pelos seus respectivos países, obrigando as nacionais a demitir profissionais e limitar seus campos de atuação, em face à legislação tributária altamente onerosa vigente para as empresas jornalísticas.

7. Defendem, com aval da Federação Nacional da Imprensa e Federação das Associações de Imprensa do Brasil Fenai/Faibra, uma legislação que permita a completa isenção de impostos em produtos e serviços, na forma de imunidade tributária e fiscal, para os órgãos privados de comunicação, sem o que as empresas de comunicação de qualquer porte não terão nenhuma condição de continuar sobrevivendo ao massacre exercido atualmente pelas empresas oficiais e estrangeiras.
 
8. Conclusivamente, manifestam sua certeza e convicção de que, defendendo e fortalecendo as empresas jornalísticas brasileiras, contribuem para que todos os profissionais da Imprensa, com a ampliação do mercado de trabalho, possam auferir remuneração condigna, qualidade de vida superior e condições de trabalho com liberdade e responsabilidade, conforme as prescrições normativas de ordem moral e ética.

Poços de Caldas, Minas Gerais, 28 de março de 2010.

Fortalecimento do jornalista e empresas de comunicação: metas prioritárias da Fenai-Faibra

O fortalecimento das Associações de Imprensa em rede integra estratégia central de programa de valorização empresarial e profissional
 
O impacto das novas tecnologias da informação foi um dos temas em destaque que permeou a maioria das palestras do 9º Ciclo de Conferências da Imprensa Brasileira e 14º Encontro Nacional de Associações de Imprensa – Enai, realizados concomitantemente em Poços de Caldas, nos dias 26 e 27 de março.

No evento ficou evidenciado que é necessário articular ações de qualificação continuada, tanto dos jornalistas quanto das empresas jornalísticas. Só assim será possível promover atualizações qualificadas a respeito dos novos ambientes multimídias e seus desdobramentos em toda a cadeia produtiva da indústria da informação. A busca de mecanismos para promover a viabilização das publicações impressas, a qualidade da informação e a valorização do papel dos jornalistas, são desafios que a Federação Nacional da Imprensa – Fenai-Faibra pontua como metas prioritárias.

A valorização e fortalecimento das associações de imprensa espalhadas no Brasil é um dos pontos estratégicos para garantir um trabalho integrado, ativando toda rede das associações em torno da capacitação, empreendedorismo e inovação. Segundo o presidente da Fenai-Faibra, J.H. de Oliveira Júnior, “uma das primeiras medidas resultantes do 14º Enai é a formação de um grupo de trabalho para desenhar um Programa de Integração Multimídia das Associações de Imprensa – Primai”. A proposta é justamente repercutir experiências bem-sucedidas, a exemplo da Associação de Imprensa da Barra – AIB, que encontrou um modelo de valorização profissional e fortalecimento da atividade jornalística.

“Além de compartilhar o modelo, o Primai visa irradiar produtos, cursos e projetos em rede, visando o fortalecimento das associações de imprensa”, destaca Josué de Menezes, um dos coordenadores do grupo de trabalho, vice-presidente da Associação Campineira de Imprensa – ACI.

Segundo o presidente da AIB, Manuel Lopes, “este é o momento de apresentarmos soluções ágeis e dinâmicas, demonstrando a força do jornalismo de qualidade. Uma das competências mais valorizadas no mundo multimídia é a capacidade de síntese, valor que está no DNA dos jornalistas”.

Outro integrante do grupo de trabalho do Primai é Roberto Perez, conceituado jornalista investigativo, presidente da Associação Serrana de Imprensa (RJ) e atualmente editor-chefe da Agência Serra. Para ele “o desafio é grande mas, à medida que o foco do projeto esteja bem definido, a rede já está pronta para valorizar a profissão do jornalista como uma das atividades alinhadas com as tendências do mundo multimídia”.

Saiba mais

A Faibra-Fenai a serviço da Imprensa Brasileira

A Faibra – Federação das Associações de Imprensa do Brasil foi fundada em 1939 pelo jornalista Edgard Leuenroth, que também fundou anos antes, em 1933, a Associação Paulista de Imprensa, tendo participado na forma de incentivo e fornecimento de subsídios para a fundação da Associação Campineira de Imprensa (1927), Associação da Imprensa de Pernambuco (1931), Associação Espírito-Santense de Imprensa (1933), Associação Brasiliense de Imprensa (1957) dentre outras.

Em 1981, durante o 2º Enai (Encontro Nacional das Associações de Imprensa), realizado no Recife – Pernambuco, sob os auspícios da Associação da Imprensa de Pernambuco (AIP), a Faibra foi reorganizada. Na ocasião ambas as entidades (AIP e Faibra) era presidida pelo jornalista Joezil Barros. Naquele momento a medida modernizadora contribuiu para lançar as sementes que frutificou na união permanente das duas mais representativas e atuantes entidades de grau superior da Imprensa Brasileira: a Faibra-Fenai.

Por sua vez a Fenai – Federação Nacional da Imprensa deu início a uma nova era de ação e representatividade em 1996 por iniciativa da jornalista e empresária de comunicação Célia Câmara (1930-1998), contando com a participação de todos os Presidente das Associações de Imprensa afiliadas a Faibra (Federação das Associações de Imprensa do Brasil). Célia Câmara na ocasião estava exercendo a Presidência da Faibra.

Em 1999, através de Assembléia Geral Conjunta das duas entidades federativas (Faibra e Fenai), foi estabelecida a gestão unificada da Federação Nacional da Imprensa com a Federação das Associações de Imprensa do Brasil.

O objetivo do estabelecimento da Fenai como organismo de categoria superior, teve o objetivo de dotar o País de uma entidade nacional representativa para congregar, em seu quadro social, ao mesmo tempo, as empresas jornalísticas, as entidades associativas do setor e todos os profissionais e colaboradores da Imprensa Brasileira.

Hoje a Faibra-Fenai conta com 69 Associações de Imprensa afiliadas e também outras entidades de comunicação. Por sua vez a Fenai também congrega em seu quadro social os jornalistas e radialistas e ainda, na categoria jurídica, milhares de veículos e empresa de comunicação.

Serviço:

www.faibra.org.br

www.fenai.org.br

www.asi.org.br

 

Fonte: Fenai

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.