Geo-Rio implode rochas entre Prainha e Grumari

Trabalho faz parte da desobstrução da Avenida Estado da Guanabara
 
A Geo-Rio executou a demolição de dois blocos de rocha em situação de precária estabilidade, para garantir a segurança da Avenida Estado da Guanabara (Prainha-Grumari), Zona Oeste do Rio de Janeiro. A implosão, nesta sexta-feira, 24/9, foi uma importante etapa das obras de recuperação da via, interditada desde as chuvas de abril. 
Nesta intervenção, foram utilizados 800kg de dinamite, em um total de 250 minas, cuja razão de carregamento é de 210g/m³. Os dois blocos de rocha tinham, aproximadamente, 4 mil metros cúbicos de volume (12 mil toneladas).
Agora, serão iniciados os serviços de contenção, com prazo previsto para término em fevereiro de 2011. No entanto, a liberação da Avenida Estado da Guanabara ao tráfego deverá ocorrer já durante as obras, em dezembro de 2010.
O investimento será de R$ 4,59 milhões nos serviços de contenção: cortinas atirantadas, muros chumbados, contrafortes atirantados, drenagem superficial e desmonte de blocos.
Durante as chuvas de abril, o deslizamento de um bloco de rocha destruiu parcialmente a Avenida Estado da Guanabara. A Geo-Rio, após finalizar um levantamento geológico-geotécnico da área, constatou a existência desses outros dois grandes blocos de rocha, que configuram um elevado risco para a via. 
Com relação à limpeza do local, antes da implosão desta sexta-feira, a Geo-Rio já havia retirado em torno de 8 mil metros quadrados de material deslizado entre solo e rocha. Os trabalhos, que começaram no dia 6 de abril, em momento algum ficaram parados. 
Na Avenida Estado da Guanabara houve o acidente com maior volume de material deslizado. Blocos de pedra muito grandes começaram desde então a ser desmontados para que pudessem ser retirados. 
A primeira explosão na área aconteceu no dia 30 de abril, quando técnicos dinamitaram 22 blocos de pedra. Pouco depois, em maio, cerca de 150kg de explosivos foram usados para implodir 2 mil metros cúbicos de grandes pedras. 

Fonte: Geo-Rio/SMO

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.