Governo do Rio lança campanha de combate ao preconceito racial

Nos últimos nove meses, foram 837 vítimas de injúria por preconceito e 43 sofreram preconceito de raça ou de cor
 

Para combater o preconceito racial e promover a conscientização da população sobre o tema, o Governo do Estado do Rio de Janeiro lançou a campanha Não é elogio, é preconceito. A partir do dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, a Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos divulga nas redes sociais vídeos animados e imagens para serem compartilhadas mostrando o preconceito racial sofrido no dia a dia pelos negros e negras no dia a dia, ao ouvirem frases como “Nossa, seu cabelo é macio, achei que era duro” ou “Você tem os traços finos e delicados”, não é elogio, mas sim preconceito.

 

Por mês, em média, 97 casos de racismo são registrados no Estado do Rio, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Nos últimos nove meses, foram 837 vítimas de injúria por preconceito e 43 sofreram preconceito de raça ou de cor.

Em geral, o crime de injúria está associado ao uso de palavras depreciativas referentes à raça ou cor com a intenção de ofender a honra da vítima. Já o crime de racismo implica conduta discriminatória dirigida a determinado grupo ou coletividade e, geralmente, refere-se a crimes mais amplos.
 

– O racismo existe e se manifesta muitas vezes de forma velada em supostos elogios. Por isso, campanhas como essa são fundamentais para conscientizar a população e combater o preconceito racial, que é crime – disse o secretário de Direitos Humanos, Átila Alexandre Nunes.
 

Em agosto deste ano, o Governo do Rio de Janeiro lançou o Disque Combate ao Preconceito. Através do telefone (21) 2334 9551, a população pode denunciar e pedir auxílio à equipe técnica da secretaria de Direitos Humanos. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 10 às 16h.

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.