Governo vai desapropriar casas no Morro do Céu

Governo vai desapropriar casas no Morro do Céu
 
O governador Sérgio Cabral determinou, neste sábado (10/4), prioridade para desapropriar casas das imediações do lixão do Morro do Céu, na Zona Norte de Niterói. Os trabalhos começaram com o levantamento do número de famílias que moram na região, assim como quantos imóveis existem no local e o valor da indenização a ser paga aos desapropriados. O governador cobrou agilidade nos trabalhos e espera que a questão seja resolvida o mais rápido possível.
Sérgio Cabral acompanhou, no início da tarde deste sábado, a remoção dos escombros no Morro do Bumba. Cabral ouviu, de lideranças comunitárias locais, pedidos de mais presença do poder público para ajudar as vítimas do temporal na região. Além disso, o governador conversou com agentes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil que trabalham no local. Cabral prestou solidariedade aos familiares das vítimas do deslizamento e se disse surpreendido com a serenidade com que as pessoas estão encarando a catástrofe.
– Essa tragédia é a maior prova de que demagogia e oportunismo matam. Minha vinda aqui foi para dar uma palavra de apoio às famílias e reforçar o compromisso que o Governo do Estado tem em ajudar quem mais precisa de apoio neste momento de dor. Além do trabalho dos bombeiros, estamos aqui com assistentes sociais e psicólogos para ajudar os familiares das vítimas – disse o governador.
A cada turno, cerca de 120 homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, além de voluntários, trabalham na remoção dos escombros do deslizamento no Morro do Bumba. De acordo com a Defesa Civil, são retirados, por dia, 200 caminhões de escombros, com capacidade para 30 toneladas cada. Os trabalhos contam com o apoio de 20 caminhões e seis retroescavadeiras.
Antes de ir ao Morro do Bumba, Cabral foi a Maricá conversar com o prefeito Washington Quaquá sobre a situação do município após as fortes chuvas da semana passada. No município, por causa do temporal, três pessoas morreram. No entanto, o governador explicou que, apesar de poucas mortes, os trabalhos que o Governo do Estado desenvolve na cidade precisam ser intensificados para evitar mortes por causa das chuvas.
– Só não houve uma catástrofe maior em Maricá porque já estávamos trabalhando em parceria com a prefeitura para evitar problemas sérios. Só pra se ter uma ideia, o canal que faz a ligação da lagoa com o mar precisou ser aberto, depois de mais de 20 anos, e tudo amparado com estudos da Coppe, da UFRJ, e apoio do Inea. E também estamos investindo R$ 70 milhões em melhorias para a distribuição de água para a população e R$ 20 milhões para recuperar na pavimentação na cidade. E se a prefeitura precisar de mais verba, estamos prontos para ajudar – concluiu Cabral.
Ao ser perguntado se pediria apoio do Exército ao governo federal, Sergio Cabral disse que as Forças Armadas já colaboram com dois hospitais de campanha em São Gonçalo. O governador contou ainda que o Corpo de Bombeiros tem profissionais de excelência reconhecida internacionalmente e lembrou que, na ajuda oferecida pelos bombeiros cariocas no Haiti, em janeiro deste ano, a Organização das Nações Unidas permitiu que somente os profissionais do Rio trabalhassem no socorro às vítimas nos escombros do prédio da ONU em Porto Príncipe.

Fonte: Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.