Impacto das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro

Legados em transportes, infraestrutura, desenvolvimento social e meio ambiente
 
O prefeito Eduardo Paes participou na manhã desta sexta-feira, dia 3/9, do "Fórum Rio Cidade Sede", que reuniu representantes dos três níveis de governo (federal, estadual e municipal), do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), além de especialistas em urbanismo, esportistas e empresários para discutir o impacto dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Durante o evento, que foi realizado no Pestana Rio Atlântica Hotel, em Copacabana, Paes anunciou a criação do novo corredor expresso de BRT na Avenida Brasil, ligando o Centro à Zona Oeste (Santa Cruz).
 
– As maiores transformações que ocorrerão na cidade serão realizadas na região portuária e na área do transporte, que vai mudar muito. O corredor expresso da Av. Brasil é um dos mais fáceis de ser implantado porque a via já existe, já tem uma segregação de faixa, só teremos que qualificar essas faixas e fazer as estações e mais alguma obra de infraestrutura. Será um corredor exclusivo sem possibilidade de qualquer outro veículo entrar. Num primeiro momento pretendemos pegar o trecho do Centro até o Trevo das Margaridas, o que já vai resultar num impacto fantástico na cidade, mas até 2016 ele chegará a Santa Cruz – anunciou Paes, enfatizando que o projeto ainda não está fechado e, por isso, não há prazos nem orçamentos definidos.
 
Ao lado do ministro do Esporte, Orlando Silva; da secretária estadual de Esporte e Lazer, Márcia Lins; e do presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman; o prefeito Eduardo Paes destacou também como principais legados a implantação dos outros corredores expressos de BRTs (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica).
 
O prefeito falou ainda sobre o momento especial vivido pela cidade, reconhecendo que existem muitos desafios até 2016:
 
– É um momento especial que vejo como o ponto de partida de uma cidade que conseguiu se construir e que ainda tem muito pela frente. Agora temos que avançar. O papel que o Rio pretende cumprir nesse caminho é insistir sempre para que esteja na frente, porque o Rio indo bem, os jogos certamente serão os melhores da história. Esse é um período de muitas transformações e muitas mudanças e é o que vamos fazer para que os jogos possam, de fato, transformar nossa cidade maravilhosa .
 
Paes destacou durante sua apresentação as transformações nas áreas de meio ambiente e de desenvolvimento social. Na primeira, ressaltou as melhorias no esgotamento sanitário da Área de Planejamento 5 (AP5 – Zona Oeste), reflorestamento e ampliação da rede cicloviária. Já na área social e educacional, ele falou sobre os programas Morar Carioca (urbanização, conservação e controle de uso do solo de todas as comunidades até 2020) e Rio Criança Global (aulas de inglês para alunos da rede municipal de ensino).
 
Já o ministro dos Esportes, Orlando Silva, durante a abertura do evento, falou sobre as medidas que visam buscar o sucesso para o Rio de Janeiro nos jogos de 2016, enfatizando que esse será o ponto de partida para um novo modelo de desenvolvimento do esporte no Brasil. Ele falou ainda sobre os aspectos econômicos, a realização de mudanças para a obtenção de resultados, capacitação de gestores, estruturas de treinamento e ampliação e desenvolvimento de atletas.
– Essa é a chance de ouro que temos para enfrentar o limite estrutural entre esporte e educação. Temos nas mãos a oportunidade para alavancar o esporte no nosso país. Além disso, os jogos nos proporcionarão um ganho intangível que é a exposição e promoção da imagem do Brasil no exterior já que, apesar de tudo, o país ainda é pouco conhecido lá fora. E ainda sairemos dessa experiência incrível como um país melhor, deixando legados, melhorando a qualidade de vida das pessoas e com um povo mais autoconfiante, motivado pelas mudanças que os jogos vão proporcionar.
 
Em seguida, a secretária estadual de Esporte e Lazer, Márcia Lins, destacou como passaporte para os jogos de 2016 a realização do Pan-Americano de 2007 que, segundo ela, credenciou e deu credibilidade internacional à cidade. Ela falou também sobre projetos do governo do estado nas áreas de transporte (Linha 4 do Metrô); segurança (implantação das Unidades de Polícia Pacificadora – UPPs); meio ambiente (tratamentos de água e neutralização do carbono); saúde (Instituto Estadual da Mulher); legado esportivo e instalações (Maracanã e Maracanãzinho); e desenvolvimento do turismo (Projeto Rio Top Tour de turismo comunitário).
 
– Esse é um sonho que virou realidade. Nos traz ao mesmo tempo orgulho e esperança. E isso porque temos uma coisa que é fundamental: a integração dos três níveis de governo para realizar as transformações necessárias para o sucesso dessa olimpíada.
 
O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, falou sobre o desafio olímpico da Rio 2016 que, na sua opinião, estão relacionados à infraestrutura, acomodações, segurança e acessibilidade. Em sua apresentação, citou o impacto econômico que o "maior evento esportivo do planeta" trará para o Brasil, os benefícios, repercussão, transformação social e premissas, alegando que a "receita da vitória é o trabalho".
 
Ao longo do dia, outras autoridades e especialistas debaterão também assuntos como o projeto olímpico e a preparação dos atletas, aspectos urbanos e legado dos jogos, impacto econômico e as experiências dos jogos em Sydney (Autrália).

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.