Instituto municipal promove adoção de cães e gatos

A campanha inicia as comemorações ao centenário da instituição, que ainda contam com várias atividades gratuitas, programadas para o final de junho e início de julho
 
adocao-de-caes
 

O Instituto de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, em São Cristóvão, promove nas redes sociais a campanha #SomosTodosIJV, que incentiva a adoção de cães e gatos tratados na unidade. Os animais estão saudáveis, com a vacinação antirrábica e castrados. A campanha inicia as comemorações ao centenário da instituição, que ainda contam com várias atividades gratuitas, programadas para o final de junho e início de julho. O interessado em adotar um animal de estimação deve comparecer à sede do instituto (Avenida Bartolomeu de Gusmão, 1.120), de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

 

 

O adotante precisa ser maior de idade, estar munido de CPF, carteira de identidade e comprovante de residência. No momento da adoção, serão informados ao futuro dono qual o local ideal para o animal adotado, de acordo com o seu comportamento, sobre a posse responsável e sobre a criminalização do abandono.

 

 

Essa é a primeira atividade de comemoração dos 100 anos do Instituto Jorge Vaitsman, vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Mas a celebração principal será no próximo dia 30, às 17h, no Museu do Amanhã. No local, haverá sessão solene e debates sobre doenças que os animais transmitem aos homens e sobre os acumuladores de animais.

 

 

No dia 8 de julho, equipes de médicos veterinários estarão na Praça Afonso Pena, na Tijuca, orientando a população sobre saúde do animal. Também haverá vacinação de cães e gatos e feira de adoção de animais, acompanhados de uma grande festa, com apresentação da banda e do canil da Guarda Municipal. O institito também estuda a realização de um mutirão de castração animal, mas as datas ainda não estão confirmadas.

 

 

O Instituto Jorge Vaitsman é referência para a pesquisa em zoonoses no Brasil, que são as doenças que os animais transmitem aos humanos. Mas a história começou em 1917, com o controle sanitário das vacas leiteiras do município para prevenir a tuberculose humana (que poderia ser transmitida pelo leite), que na época era vendido cru e ainda não existia antibióticos para essa doença. No local também era prestada assistência medico veterinária aos animais de carga que puxavam as carroças do serviço de coleta de lixo da cidade.

 

 

Logo depois, o trabalho se estendeu para a profilaxia da raiva, com observação dos animais suspeitos, diagnóstico dos animais positivos e produção de vacina antirrábica. Na época, a doença matava tanto os animais quanto os seres humanos. Mais tarde, quando se obteve o controle da raiva em cães e gatos no município, aboliu-se o sacrifício dos animais errantes. Hoje, a doença em humanos encontra-se erradicada do município há mais de 26 anos.

 

 

Para manter essa erradicação, o instituto também atua em conjunto com os postos de atendimento às vítimas de agressão por animais, observando os animais agressores e sendo o único laboratório do estado do Rio de Janeiro que faz o exame de sorologia humana para raiva gratuitamente, para comprovação da imunidade pós vacina contra o vírus rábico.

 

 

Além da raiva, outras zoonoses também são estudadas pelo instituto. O local dispõe de laboratórios responsáveis pelo diagnóstico de leptospirose, criptococose, leishmaniose e esporotricose. Para essa última oferece tratamento gratuito. Também há projetos para adoção, posse responsável e castração gratuita de cães e gatos, visando o controle das zoonoses e a diminuição da população de animais abandonados no município. Além disso, a unidade conta com cemitério e crematórios.

 

 

Atualmente, o instituto Jorge Vaitsman está se empenhando em realizar necropsias em primatas, com coleta e envio de material para exames específicos para febre amarela e, também, para o diagnóstico de raiva. 

 

 
 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.