Khadafi desafia oposição em entrevista

Khadafi desafia oposição em entrevista
 
Em local incerto desde que a oposição dominou a capital líbia, Trípoli, há quase duas semanas, o presidente Muammar Khadafi concedeu entrevista, na quarta-feira (7/9), por telefone, à TV Arrai, da Síria. Ele negou ter fugido para o Níger e classificou as informações sobre essa possibilidade de "guerra psicológica".
 
O governo de Burkina Faso, que faz fronteira com o Níger, negou relatos de que teria oferecido asilo a Khadafi. As notícias sobre a eventual fuga de Khadafi para o Níger surgiram após a divulgação de informações sobre um comboio, com 200 a 250 carros blindados, pertencentes à equipe de Khadafi, que passou pela fronteira entre os dois países – o Níger é ex-colônia francesa e um dos países mais pobres do mundo.
 
“Tudo o que resta é a guerra psicológica e as mentiras. Disseram ter visto recentemente Khadafi em um veículo rumo ao Níger”, disse o presidente na entrevista. “Quantos veículos de traficantes de bens e pessoas entram no deserto todos os dias para o Sudão, o Chade, Mali e a Argélia?”, perguntou ele.  “Eles querem enfraquecer o nosso moral, não se preocupem com esse inimigo fraco e vil”.
 
Na entrevista à emissora síria, Khadafi indicou que vai resistir à pressão interna e externa e que não entregará o poder. "Os jovens estão agora prontos para aumentar a resistência contra os `ratos` em Trípoli e acabar com os mercenários", disse ele.
 
Quarta-feira (7/9), o ministro das Relações Exteriores do Níger, Mohamed Bazoum, admitiu que um grupo – de aproximadamente 20 pessoas – entrou na capital do Níger, Niamei. Segundo ele, os homens ligados a Khadafi estão "sob controle" do governo local e serão tratados de acordo com leis internacionais de refúgio. Também terão a liberdade de ir embora se quiserem.
 
A mulher de Khadafi e três filhos dele deixaram a Líbia e pediram abrigo na Argélia. Dois dias depois da chegada da família à Argélia, Aisha, filha de Khadafi, deu à luz o quarto filho – uma menina. O governo da Argélia informou ter recebido a família por “razões humanitárias”.

Fonte: Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.