Mês da Consciência Negra tem programação cultural especial no Rio de Janeiro

As atividades serão realizadas por toda a cidade
 

Tradição há quatro anos, o Cortejo da Tia Ciata, evento em homenagem ao símbolo da resistência cultural africana, acontece na próxima terça, Dia da Consciência Negra, a partir das 10h. A escultura de Tia Ciata sai do Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, acompanhada de dançarinos, tocadores, músicos e diversos artistas em direção à estátua de Zumbi.

 

Matriarca negra e figura fundamental para a manutenção e enriquecimento da cultura, Tia Ciata foi uma das figuras mais influentes para o surgimento do samba carioca. Neste dia, celebra-se o encontro de dois personagens emblemáticos da cultura negra brasileira: Tia Ciata e Zumbi.

 

Terça (20), a partir das 10h. Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Grátis.

 

Empreendedorismo afro no Terreirão

O Dia da Consciência Negra também será lembrado no evento “Terreirão – Consciência e Resistência”, que pretende fazer um resgate das raízes negras, com o objetivo de revitalizar os valores culturais afro-brasileiros.

 

Para celebrar as conquistas e fortalecer ações voltadas ao afro empreendedorismo, haverá expositores de moda, artesanato, música, literatura, culinária e arte. Para animar o público,  além de oficina literária e desfile de moda afro, haverá apresentações de grupos de samba de raiz, funks tradicionais e baile charme.

 

Terça (20), a partir das 13h. Terreirão do Samba. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Gratuito.

 

Seminário Internacional Cais do Valongo

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, a Representação da Unesco no Brasil e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promovem o Seminário Internacional Cais do Valongo – Patrimônio Mundial desafios de Gestão e Interpretação, na sexta, dia 23 de novembro, no Museu de Arte do Rio.

 

A atividade pretende ampliar o diálogo com a população sobre o processo de construção da gestão compartilhada do Sítio Arqueológico Cais do Valongo e do seu museu de território – o Museu da História e da Cultura Afro-brasileira. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do e-mail seminariointernacionalvalongo@gmail.com até o dia 20 de novembro.

 

Cultura afro em Irajá

No dia 20, a partir das 15h, a Lona Cultural Municipal João Bosco abre suas portas para a celebração do Dia da Consciência Negra. O público vai acompanhar apresentação de dança afro, roda de capoeira, exibição de curtas, a intervenção “Poemas Negros”, apresentação de hip hop e Festa Black. A entrada é gratuita.

 

Música de Moçambique

Cheny Wa Gune é um músico respeitado em Moçambique. Xixel Langa é cantora e dançarina, que mescla músicas tradicionais do país a um repertório eletrônico. Juntos, vão realizar um show que transitará por diversos ritmos tradicionais moçambicanos. Neste sábado, às 20h, na Sala Municipal Baden Powell. Ingressos a R$ 15.

 

 

História de Luiz Gama no palco

Até 28 de novembro, continua em cartaz no Teatro Municipal Serrador a peça “Luiz Gama – Uma voz pela liberdade” com sessões acontecem às terças e quartas, às 19h30. O espetáculo relata a história de um advogado negro que viveu entre 1830 e 1882. Mesmo tendo nascido livre, já que seu pai era branco e sua mãe uma escrava alforriada, Gama foi vendido como escravo aos 10 anos pelo pai, mas mudou seu destino. Aprendeu a ler e escrever e, depois, frequentou como ouvinte as aulas da Faculdade de Direito. Como advogado, mesmo sem ter o diploma, atuou em defesa dos negros, libertando mais de 500 escravos do cativeiro ilegal. Em 2018, Luiz Gama foi oficialmente reconhecido como o Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil e também inscrito no Livro dos Heróis da Pátria. Os ingressos custam a partir de R$ 20 (meia).

 

 

Oficina discute o afro-futuro

O  Museu da Escravidão e da Liberdade oferece uma oficina gratuita de Afroturismo no dia 17 de novembro, às 10h. O público terá a oportunidade de conhecer artistas negros que trabalham com afrofuturismo. Durante a aula, ministrada pelo artista plástico Raphael Bequeer, serão realizados exercícios corporais e visuais para a criação de objetos sensoriais. Os interessados podem fazer a inscrição pelo e-mail mel.inscricao@gmail.com.

 

Reflexão

Apresentação dos alunos das oficinas de ballet, jazz e capoeira. O objetivo é colaborar para a reflexão sobre a posição histórica e cultural dos negros na sociedade. Areninha Carioca Gilberto Gil, em Realengo. Dia 22 de novembro, às 17h. GRÁTIS.

 

 

40º Sarau Jovelina

Literatura, música, artes cênicas/circenses/plásticas, dança, audiovisual e muito mais no Sarau que é um espaço de começos e formação de novas redes para artistas locais. Arena Carioca Jovelina Pérola negra, na Pavuna. Dia 22 de novembro, a partir das 19h30. GRÁTIS.

 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.