Ministério da Saúde libera 12 milhões para o Haiti

Ajuda internacional
 

Os recursos são suficientes para dois anos e fortalecerão o sistema de vigilância epidemiológica e imunizações haitianos

O Ministério da Saúde liberou R$ 11,8 milhões para aprimoramento do sistema de vigilância epidemiológico e fortalecimento do programa de imunização do Haiti. Os recursos serão utilizados na compra de vacinas e equipamentos. No caso das vacinas, o valor investido é suficiente para abastecer o país do Caribe durante dois anos.

Os recursos serão divididos em duas partes. A primeira, de R$ 4,3 milhões, será transferida para a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que ficará encarregada de adquirir vacinas contra raiva humana, raiva canina, dupla bacteriana (difteria e tétano) e tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche).

A segunda parte, no valor de R$ 7,5 milhões, será repassada para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que ficará responsável pela compra de duas “redes de frios” – estruturas de refrigeração, como geladeiras, e outros equipamentos usados para armazenagem de vacinas e outros insumos perecíveis.

A compra dos insumos partiu de uma proposição conjunta de técnicos do Brasil, de Cuba e do Haiti. Os recursos transferidos fazem parte da contribuição brasileira dentro do memorando de entendimento assinado em março do ano passado, na capital do Haiti, Porto Príncipe, entre os ministérios da Saúde dos três países, para fortalecer o sistema de saúde haitiano, com foco na atenção primária.

Para viabilizar as ações a médio e longo prazo, no Haiti, o governo brasileiro editou uma Medida Provisória, em janeiro do ano passado, que destinou R$ 135 milhões para financiar ações de saúde. Atualmente, 93% desses recursos estão empenhados e serão investidos durante 2011 e 2012, com execução a cargo da Assessoria Internacional (AISA) do Ministério da Saúde.

De acordo o consultor da AISA, Carlos Felipe D’Oliveira, a compra de insumos e equipamentos é uma ação importante para a descentralização e manutenção da vacinação no Haiti. “Esses recursos vão permitir uma melhor distribuição e acesso às vacinas. Atualmente, tudo está concentrado na capital”.

AJUDA DO BRASIL – A ajuda humanitária ao Haiti, após o terremoto que atingiu o país em janeiro de 2010, priorizou, no primeiro momento, o resgate e o atendimento de pessoas feridas e a doação de insumos. Em seguida, as atenções foram voltadas para a oferta de serviços por meio dos hospitais de campanha e ações de prevenção e controle de doenças transmissíveis. Representantes de diversos ministérios brasileiros atuaram diretamente na ajuda emergencial.

Até o momento, foram encaminhadas ao país caribenho mais de 405 toneladas de medicamentos, como antivirais e antibióticos, materiais cirúrgicos e mais de 100 mil doses de vacinas contra hepatite B. Além disso, foram enviados 40 kits de medicamentos do programa. Cada kit tem a capacidade de atender até 500 pessoas.

Atualmente, a equipe técnica brasileira está desenvolvendo e implementando projetos de infraestrutura e cooperação técnica, fundamentais para a reestruturação dos serviços de saúde do Haiti. Além disso, o Ministério da Saúde do Brasil trabalha em diversas frentes, como projetos de cooperação para apoio na estruturação de Bancos de Leite, na implantação do Instituto Haitiano de Reabilitação e treinamento de agentes comunitários de saúde.

Fonte: Agência Saúde

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.