Ministro do Trabalho apresenta o Projeto Jovem Aprendiz do Desporto no Rio Media Center

Na segunda-fera, dia 15 de agosto,  o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira de Oliveira, apresentou o Projeto Jovem Aprendiz do Desporto (Jade 2016), realizado em parceria com o Ministério da Educação, o Instituto Federal do Rio de Janeiro e o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 no auditório do RMC.  Ao lado do secretário das[...]
 

2016.08.15-Coletiva-Jovem-Aprendiz-do-Desporto-JM-Coelho-9-1 (640x487)

Na segunda-fera, dia 15 de agosto,  o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira de Oliveira, apresentou o Projeto Jovem Aprendiz do Desporto (Jade 2016), realizado em parceria com o Ministério da Educação, o Instituto Federal do Rio de Janeiro e o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 no auditório do RMC.  Ao lado do secretário das Relações de Trabalho, Carlos Lacerda, e do superintendente regional do Trabalho do Rio de Janeiro, Helton Yomura, o ministro adiantou que a iniciativa deve ser ampliada para outras áreas de atuação e outras regiões do país no próximo ano. “A satisfação do Ministério do Trabalho é poder compartilhar este momento tão especial, quando podemos comemorar o sucesso do Projeto Jovem Aprendiz do Desporto que tem 450 jovens exercendo a parte prática dos ensinamentos que têm recebido no curso, atuando nos Jogos Olímpicos”, disse o ministro.

 

 

 

Lançado em maio de 2016, o projeto tem carga horária de 400 horas de aulas teóricas, no contraturno escolar, divididas em duas etapas.  A primeira, realizada de 9 de maio a 30 de julho, preparou os jovens para atuarem nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A segunda começa no final de setembro, quando eles retornam para a sala de aula para concluir o treinamento em 21 de dezembro. Durante o período do curso, os jovens recebem uma bolsa na faixa de meio salário mínimo, vale transporte e lanche.

 

 

 

De acordo com o diretor do Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude, Higino Brito Vieira, cerca de 1600 jovens se inscreveram no projeto. “Os 450 selecionados terminaram o curso no final do ano, certificados e preparados para encarar o mercado de trabalho. É interessante lembrar que a expressão aprendiz pode dar a ideia de que eles estão fazendo atividades básicas, mas não. O que nos dá muito orgulho é saber que eles estão se sentindo valorizados com atividades que demandam responsabilidade. Todo um contexto que faz com que os jovens saiam dessa experiência única com a autoestima valorizada para que possam encarar o mercado de trabalho”, defendeu Higino.

 

 

“Tem sido incrível essa experiência, este intercâmbio cultural. Acredito que a gente ganhou muita experiência com essa participação nos Jogos e que, no futuro, o mercado de trabalho vai estar bem melhor para conseguir um emprego”, disse Juan Ricardo de Guimarães Silva, jovem aprendiz do Maracanãzinho.

 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.