Mosquitos invadem o Recreio

Plantão Barra – Por falta de dragagem, o Canal do Rio Morto vira habitat das gigogas
 

O Canal das Taxas e o Rio Morto, que cortam o Recreio dos Bandeirantes, estão tomados de gigogas, plantas aquáticas que se alimentam de esgoto e criam ambiente propício para a proliferação dos mosquitos, incluindo o Aedes aegipty, transmissor da Dengue. Moradores do local reclamam dos insetos e do mau cheiro que invadem o bairro.

A vendedora autônoma Ana Letícia Ramalho está de mudança, na tentativa de fugir da “praga” dos mosquitos que, segundo ela, ocorre com frequência. “O problema é comum aqui. Todos os dias, por volta das 15h, os mosquitos começam a aparecer e não podemos deixar a casa aberta”, lamenta. Ela lembra que para as pessoas alérgicas a questão é muito séria. “Com as janelas fechadas, o ar não circula pelo ambiente e isso aumenta a umidade, gerando mofo. Meu filho é alérgico e isso faz muito mal para a saúde dele”, afirma. De acordo com Ana Letícia, a dragagem não é realizada há quase um ano, mesmo com as insistentes solicitações da associação de moradores.

Para a médica dermatologista Patrícia Célia, o sofrimento é ainda maior no caso das crianças. “Sou mãe e muitas vezes percebo que as picadas se transformam em pequenas feridas que infeccionam”, revela. Mesmo morando distante dos arredores do Parque Chico Mendes, ela diz que é obrigada a trancar as janelas, diariamente no fim da tarde, para ter um pouco mais de sossego. “Inclusive, já faz parte da rotina da creche solicitar aos pais a compra de repelentes para uso constante nas crianças. E mesmo assim é difícil de controlar as picadas”, comenta.

As gigogas transmitem doenças como hepatite e diarréia, por meio de vírus e bactérias. Elas se multiplicam rapidamente nas lagoas da Barra de Tijuca e Jacarepaguá, e se deslocam na velocidade das marés para as praias da cidade, causando apreensão e medo na população.

Fonte: Margareth Santos

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.