Novidades na Rock Street do Rock in Rio em 2013

O local vai voltar inspirado na GRÃ-BRETANHA e na IRLANDA
 

Grande novidade do Rock in Rio 2011, a Rock Street estará de volta à programação do festival em 2013. A novidade é que, para o Rock in Rio 2013, a rua será inspirada na Grã-Bretanha e Irlanda. O público se sentirá viajando pelo exótico bairro londrino Camden Town e o irlandês Grafton Street, com artistas de rua também imersos nesta temática.

 

Dessa vez, quem passar pela Rock Street encontrará John Lennon, incorporado por uma estátua viva, músicos interpretando clássicos do rock inglês, bandas de música irlandesas e malabaristas punk, assim como outras figuras presentes na última edição: caricaturista, acrobatas, mágico, cartomantes… Tudo no característico clima descontraído, envolvente e espontâneo da Rock Street. As lojas, bares e restaurantes terão cenografia desenhada por João Uchoa e serão ambientados nos pubs ingleses e nas ruas de Dublin.

 

A Rock Street terá uma programação com novos nomes do rock inspirados pelas bandas inglesas. Todos os dias haverá a Rock Street Big Band tocando Beatles. Com uma pegada jazzística e arranjos inéditos, a Big Band terá participação especial de renomados artistas brasileiros. A Rock Street acolherá também apresentações diárias de companhias de danças irlandesas, que se caracterizam pela explosão de ânimo e força.

 

Em 2013, o palco da Rock Street será maior: com cerca de 13 metros de largura e 3,5 metros de altura, a apenas um metro do chão, muito próximo ao público. A rua contará com 20 contêineres-loja e estrutura em fibra de vidro (material sustentável e de fácil reutilização).

 

“A Rock Street é um lugar de interação e de inclusão, onde o público se sente parte do cenário e participa do espetáculo. Nossa rua foge da tradicional separação palco-público. Na Rock Street, o público está dentro do palco. O inesperado acontece a qualquer momento e procuramos incentivar o improviso”, explica Bruce Henri, diretor artístico do espaço.

 

O americano radicado no Brasil desde o final dos anos 1960 recebeu o convite para desenvolver e implementar a primeira Rock Street na edição de 2011 por seu trabalho como músico e conhecimento técnico. Como instrumentista, Bruce coleciona em seu currículo sete álbuns e um EP autorais, participações ao lado de nomes como Gilberto Gil, Gal Costa, Ney Matogrosso, Jards Macalé, Fafá de Belém, Fagner e Joyce, além de trilhas sonoras para filmes, peças de teatro, e danças. Já na área de produção de espetáculos e eventos, Henri trabalhou como stage manager do Palco Mundo do Rock in Rio Lisboa em 2006, 2008 e 2010, e do Rock in Rio Madrid 2010, além de shows no Brasil do Black Eyed Peas, Air, The Police, New Order, Eric Clapton, a lendária apresentação dos Rolling Stones na Praia de Copacabana em 2006, e muitos outros.

 

Idealizada por Roberto Medina, presidente e criador do Rock in Rio, a Rock Street nasceu a partir da ideia de criar um espaço lúdico, aberto a diversas manifestações artísticas, aliada à oportunidade de aproveitar da melhor maneira possível um trecho estreito do terreno da nova Cidade do Rock (Parque dos Atletas). Em sua primeira edição, a Rock Street homenageou Nova Orleans (EUA), trazendo para o festival o clima de descontração, o ritmo e a magia do quarteirão francês da cidade do jazz.

 

Fonte: APPROACH – assessoria de imprensa Rock in Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.