Acusado de comandar milícia em Jacarepaguá será ouvido por teleconferência

A primeira Audiência de Instrução e Julgamento do caso que envolve o ex-vereador Cristiano Girão Matias está marcada para 15 de janeiro
 


A 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá marcou para o dia 15 de janeiro, às 13h, a primeira Audiência de Instrução e Julgamento do caso que envolve o ex-vereador Cristiano Girão Matias, acusado de comandar uma milícia na região da Gardênia Azul, Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, além de lavagem de dinheiro e lesão corporal grave.

 

 

Também são acusados de pertencerem ao esquema Celso de Souza, Marcello Borges Gonçalves, Haluska Almeida de Souza, Neuza Maria Correa Barreiros, Roselaine Castro Girão Vida, Samantha Miranda dos Santos Girão Mathias, Fábio de Souza Salustiano, Paulo Henrique Rocha Vieira, Robson Dias Delgado e Alian Teixeira Galvão.

 

 

Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia

Girão será ouvido por teleconferência
 
Na decisão, o tribunal determinou que Girão, que se encontra em presídio federal fora do Estado do Rio, seja ouvido por videoconferência, que será na sala da Central de Assessoramento Criminal (CAC) do Tribunal de Justiça do Rio.

 

“É preciso considerar que o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro possui duas salas especialmente preparadas para o uso da videoconferência. Cabe registrar que a vinda de Cristiano Girão Matias para participar da audiência no Rio de Janeiro causa efetivo risco à segurança pública, já que há informes de que o réu é o líder de uma organização criminosa que atua na região da Gardênia Azul”, relata o texto.

Serão ouvidas 62 testemunhas, sendo 29 testemunhas de acusação, arroladas pelo Ministério Público; três pela defesa do réu Cristiano Girão; cinco pela defesa do réu Celso de Souza; quatro pela defesa da ré Haluska Almeida de Souza; 10 pela defesa da ré Neuza Maria Correa Barreiros; três pela defesa da ré Roselaine Castro Girão Vida; duas pela defesa da ré Samantha Miranda dos Santos Girão Mathias; duas pela defesa do réu Fábio de Souza Salustiano e cinco pela defesa do réu Alian Teixeira Galvão.

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.