RIO 2016: Aulas de BodyBoard e Skate no Recreio dos Bandeirantes

Projeto 'Recreio Radical' atende moradores de favelas da região e da Barra da Tijuca
 

Redação, RJ

 

O Recreio Radical dá aulas de skate a crianças e jovens da região/ Foto: Túlio Mello
 

 

Quando um jovem destemido e uma tábua se unem o resultado é óbvio: esporte radical. Seja no mar, com uma prancha de bodyboard, ou sobre rodas, a adrenalina é certa. O núcleo do projeto Rio 2016 Recreio Radical promove esse encontro na Praia do Recreio, na Zona Oeste do Rio. A unidade oferece aulas gratuitas de surfe de peito e skate para crianças e adolescentes que moram na região.

 

 

O professor de surfe de peito do projeto Lucas Franco, de 18 anos, é morador da favela Juca Machado, também no Recreio. É um rapaz tão quieto e tímido que chega a ser difícil acreditar que ele começou no esporte aos 12 anos, em busca de aventura. Em seis anos de bodyboard, Lucas já participou de torneios cariocas, estaduais e brasileiros. São oito troféus guardados em casa. Lucas treina e dá aulas nas terças, quintas, sábados e domingos. São 30 jovens, entre meninos e meninas das comunidades carentes e jovens de classe média que moram nas redondezas e na Barra da Tijuca.

 

 

 

– A gente quase não sai. A gente se dedica muito aos treinos, é importante para a gente, isso. Mas nós gostamos, não sentimos muita falta não – revela o treinador.

 


Lucas (segundo, da esquerda para direita) treina cerca de 30 jovens/ Foto: Túlio Mello

 

 

Outro professor do Recreio Radical é Kayque Thomaz, de apenas 15 anos. Ele já tem 15 troféus e já pegou lugar no pódio em diversos campeonatos de bodyboard. Morador do Terreirão, no Recreio, ele conta que o esporte o fez tornar-se referência dentro da comunidade.

 

 

– A gente chega no meio da galera, o pessoal aplaude, pedem para a gente ensinar. Somos conhecidos na comunidade, as pessoas vêm dar parabéns – disse Kayque.

 

 

 

O professor de skate do Recreio Radical é Alessandro Ramos, de 36 anos, que é skatista profissional e já participou de várias competições no Brasil, na Europa, na Argentina e no Chile. Ele começou no projeto em meados de 2011 e, desde então, já treinou cerca de 200 alunos.

 

 

 

– Como as aulas são terça e quinta, às vezes fica difícil para os alunos conciliarem. Tem gente que só vem nas férias. Mas os que vêm sempre formaram uma turma. Às vezes comemoram aniversários aqui na pista – revela Alessandro.

 


O professor Alessandro Ramos é skatista profissional/ Foto: Túlio Mello

 

 

Entre os alunos de Alessandro estão os primos Igor Leite, de 15 anos, e Shelton Ícaro, de 11, ambos moradores da comunidade do Terreirão. Para eles, o skate é uma nova forma de diversão.

 

 

– Mudou minha rotina der casa. Antes eu ficava em casa, sem fazer nada. Agora eu venho para cá, pratico. E eu quero continuar – diz Ícaro.

 

 

– Eu gosto, todo mundo gosta. Todo mundo se dá bem, todos são amigos, se ajudam nas manobras. Tenho muitos amigos aqui – afirmou Shelton.

 

 

As aulas do Recreio Radical, núcleo do projeto Rio 2016, ocorrem na praia do Recreio na altura do posto 12. Além de skate e bodyboard, a unidade oferece também aulas gratuitas de ginástica para idosos.

 

0 comentários