PLANTÃO BARRA: Crise na ginástica brasileira

Flamengo demite as principais estrelas e promessas de medalha olímpica em 2016
 

Por Graça Paes, RJ

 

Renato Araújo, Petrix Barbosa, Jade Barbosa, Diego Hypolito, Dani Hypolito. Caio e Sergio Sasaki

 

Na noite desta terça, dia 5 de março, os atletas Diego Hypolito, Daniele Hypolito, Jade Barbosa, Petrix Barbosa, Sérgio Sasaki, Caio Campos (promessa para 2016) e o técnico Renato Araújo reuniram a imprensa na boate 00 para falarem sobre a decisão do clube de regatas Flamengo em acabar com as equipes de ginástica masculina e feminina. 

 

 

Sentados - Jade, Diego e Daniele Hypolito, em pé - Petrix, Renato Araújo, Caio e Sasaki

 

Os atletas decepcionados e revoltados expressaram suas opiniões: “A nação rubro negra é algo que eu só tenho a agradecer, mas toda vez que muda a gestão é isso. Eu não acreditei quando eu soube da demissão. Eu não consigo entender a falta de carinho do Flamengo com a gente. Como um clube como o Flamengo não tem dinheiro para pagar seis ginastas? Nosso salário não dá de um jogador de futebol. Não venha me dizer que o Flamengo vai ficar falido pagando os nossos salários”, disse Diego.  Questionado sobre  retornar ao clube ele deixou claro:  “Caso acontecesse, eu só voltaria ao clube pela nação rubro-negra” – diz Diego Hypolito

 

Petrix Barbosa e Jade Barbosa

 

Jade, que segurou muito a emoção, falou o quanto seu pai, os pais do Diego e da Danile Hypolito ajudaram o clube e apoiaram suas carreiras, que mudou a vida de toda família. “A gente entra para a ginástica achando que é uma brincadeira, vai crescendo, se torna atleta, deixa de fazer muitas coisas pela ginástica e brincam com a nova vida assim. Eu fiquei indignada ao saber pela imprensa sobre a nossa demissão, eu estava no meu carro, estava dirigindo. Foi difícil acreditar. Depois eu parei e fui avisar aos demais atletas” – disse ela. 

 

Jade, Diego e Dani Hypolito

” O clube não deu tempo e nem oportunidade para a gente pensar. Eu voltei de Três Rios, pois nós precisávamos estar todos juntos” – disse Daniele Hypolito.

 

Renato Araújo e Petrix Barbosa

“A ginástica é nosso sustento” – disse Petrix Barbosa, que foi campeão Pan Americano e tem várias medalhas.

 

Sasaki também falou de todas as lutas que teve até conquistar altos índices na carreira e de sua indignação com o descaso do clube para com eles.

 

O novato Caio apenas ouviu os companheiros, o rapaz é uma das apostas brasileiras de medalha de ouro em 2016.

 

O técnico Renato Araújo disse que apenas quer ver sua equipe unida treinando e lutando junta como foi até agora. O grupo é coeso, e segundo ele, não há o porque mudar isso.

 

Os atletas se colocaram à disposição de algum clube ou alguma empresa que queira apoiá-los neste momento. Eles estão no primeiro ciclo das Olímpiadas 2016 e não podem parar de treinar.

 

 

Flamengo alega falta de dinheiro para a dispensa dos atletas

 

De acordo com o clube São 28 atletas dispensados: 20 de judô e oito da ginástica artística. O vice-presidente de esportes olímpicos Alexandre Póvoa explicou a imprensa na manhã de terça, dia 5, que a diretoria do Flamengo, que assumiu no início do ano, encontrou os esportes olímpicos em situação financeira bastante delicada. O déficit do setor, em dezembro de 2012, era, segundo ele, de R$ 14,5 milhões. O clube tentou buscar ajuda, disse ele para que evitasse a interrupção dos esportes olímpicos.

 

 

Na Prefeitura do Rio, segundo Póvoa, “a discussão ficou em torno do futebol”. Junto ao governo do Estado foi possível conseguir patrocínio da loteria estadual, para o basquete. Quanto ao Comitê Olímpico Brasileiro – COB nada foi possível. O órgão não repassa verbas para clubes, apenas para federações. Diante desse quadro, os conselheiros resolveram suspender o judô e a ginástica, disse o dirigente.

 

 

Futuro do Flamengo

 

A expectativa da diretoria é voltar a ter a certidão negativa dos débitos, no segundo semestre deste ano, e aí sim, então tentar emplacar parcerias. Há, segundo Póvoa, R$ 6 milhões em projetos para encaminhar ao Ministério dos Esportes. O dirigente acredita que os esportes olímpicos só voltarão a respirar a partir de 2014, quando o clube espera retomar as atividades interrompidas e tentar trazer de volta os atletas. Por sua vez, os atletas não vetam uma possibilidade de retornar ao clube, mas deixam claro que se o fizerem é pela história que viveram na Gávea, pela carreira que construída no clube e pela nação rubro-negra que sempre os apoiou.

 

 

O Flamengo vai continuar com o remo, esporte que faz parte do estatuto do clube e tem que ser mantido, e as equipes de nado sincronizado e polo aquático, além do basquete. “Não se pode tratar desiguais como iguais. O basquete é o segundo esporte do clube, e em hipótese alguma está cogitada sua descontinuidade” garantiu Alexandre Póvoa.

 

 

Imagens da coletiva de imprensa: 

Fotos de Graça Paes

1 comentário

  1. Claudio

    Como diz o jornalista Bores cazoi ISTO É UMA VERGONHA,esse é o pais só do futebol? força meus ginástas