Papa Francisco se reuniu com voluntários da JMJ no Riocentro

Este foi o último ato do Santo Padre, antes da despedida do Rio de Janeiro
 

voluntarios no riocentro 004Centenas de voluntários receberam a bênção final e se despediram do Papa Francisco neste domingo (28/7). No dia do encerramento da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o Santo Padre agradeceu, no Riocentro, a atuação dos fiéis nos atos da JMJ e na recepção e apoio aos peregrinos. Este foi o último ato de Francisco antes da despedida, na Base Área do Galeão.

 

– Não podia voltar a Roma sem antes agradecer o modo afetuoso e o modo como acolheram e serviram os peregrinos. Com o sorriso de cada um de vocês, a disponibilidade, o serviço, vocês provaram que a maior alegria está em dar, e não em receber. Cada um a seu modo foi responsável por preparar o caminho para que cada um pudesse servir a Deus – afirmou o pontífice.

 

O Papa Francisco desafiou os jovens a serem revolucionários e escolherem o caminho da dedicação ao casamento ou o chamado ao sacerdócio.

– Jovens, se alguns de vocês ainda não veem claramente o que querem fazer na sua vida, peçam orientação a Deus. Peçam a Jesus: Senhor, o que quereis que eu faça, que caminho devo seguir? – completou o Santo Padre.

 

Coordenadora local de hospedagem e membro da comunidade Para Sempre Reviver, de Santa Cruz, a professora Jessyka Dayanna da Silva, 21 anos, afirmou que a participação na Jornada foi a confirmação da sua vocação. Ela garantiu que em 2016 estará na Cracóvia.

 

– Ver o Papa de perto e sentir a presença do Espírito Santo foi um reabastecimento da minha fé. Eu me sinto pronta para passar a palavra de Deus para outros jovens – disse Jessyka.

 

Vinda de Manaus com a sua banda Ministério da Luz do Novo Mundo, a estudante Karina Omena, 24 anos, disse que participar da JMJ foi a realização de um sonho.

 

– Quando vi o Papa Francisco de perto não sabia se ria ou se chorava, mas meu coração se encheu de alegria. Tenho muito orgulho de ser católica e quero ser uma missionária e levar essa experiência para todas as pessoas de Manaus que não puderam estar aqui – afirmou a estudante.

 

O bancário Érick Teixeira, 24 anos, contou que decidiu ser um voluntário na jornada porque sabe da importância de fazer o bem e ajudar ao próximo.

 

– Temos um Papa que só no sorriso já nos traz paz. Ele veio para unir a Igreja e atrair novos fieis. Vimos pessoas de outras religiões saudando o Papa, o que prova que ele passa imagem da fé independentemente da religião – defendeu Érick.

 

Governo do Rio

0 comentários