PLANTÃO BARRA: Palestra Salvando Vidas: Drama e Esperança nas ruas do Rio de Janeiro

Dr. Carlos Alberto Lopes explicou os diversos pontos que transformaram a Lei Seca em um sucesso
 

Foi realizada na noite de segunda-feira (21/10), na sede da OAB-Barra, a palestra Salvando Vidas: Drama e Esperança nas ruas do Rio de Janeiro com o Deputado Federal e Coordenador Geral da Operação Lei Seca, Dr. Carlos Alberto Lopes. Na ocasião foram apresentados os dados atuais da operação e como ela tem sido benéfica para a cidade do Rio de Janeiro e outras regiões, não só no Brasil, como também em todo o mundo.

Palestra-Salvando-Vidas-Carlos-Alberto-Lopes

“É o maior prazer estar aqui, para falar sobre o tema, eu entendo a questão, mais importante que a fiscalização é a conscientização”, explicou o Dr. Carlos Alberto Lopes.

 

A Lei Seca já existe a quatro anos, mais de um milhão de motoristas já foram fiscalizados. 97% dos motoristas aprovam a Operação Lei Seca, segundo o IBPS. De acordo com o ISP houve uma queda de 27% das vítimas em acidentes no Grande Rio e menos 13% nos atendimentos hospitalares. Também teve uma redução de vítimas fatais nos acidentes de trânsito.

 

palestra-salvando-vidas-2
Dr. Carlos Alberto Lopes também falou da alteração do Código de Trânsito Brasileiro assinado pela presidente da república Dilma Rousseff.

 

” A Lei Seca é projeto da minha vida. Já salvamos mais de 20 mil pessoas. As equipes são compostas por vários agentes (4 segovs, 1 coordenador, 1 oficial e 3 PMs), para que a ‘propina’ seja combatida, assim como a carteirada, que era um dos nossos principais problemas, todos os polícias que fazem parte dessa equipe tem a sua ficha comprovada, se houver qualquer desvio de conduta ele não é aceito”, explicou.

 

A capacitação é um dos fatores que difere esse de outros projetos:
“Não adianta termos leis se não houver uma política pública de qualidade. A lei não é contra a bebida e sim a favor da vida”, falou.
Os locais onde as blitzes são montadas é escolhido de acordo com o número de acidentes.

 

Os cadeirantes que fazem parte do projeto contaram um pouco das suas histórias. Como o Kléber que faz parte da Operação Lei Seca desde o seu início:
“Eu, como a maioria dos jovens, bebi com os amigos e sofri uma acidente. Depois disso precisei refazer a minha vida, pois a família não está preparada, a nossa casa não está preparada, então é realmente um recomeço. Queremos mostrar para a sociedade que a pessoa pode sair com os amigos, mas que para isso não precisa se prejudicar, ou tirar a vida dos outros”, falou.

 

Dr. Carlos Alberto Lopes também falou do apoio da mídia para o sucesso da Lei Seca:
“No início a imprensa achou que não iria funcionar, com o tempo mostramos que ela estava errada e a partir desse momento as notícias passaram a ser favoráveis”.

 

0 comentários