PLANTÃO BARRA: Prefeito homenageia Luiz Paulo Horta na Cidade das Artes

A Prefeitura do Rio em dezembro realiza um tributo ao imortal com uma programação especial voltada para a música, sua grande paixão
 
4516187
 
 

O prefeito Eduardo Paes participou na quarta-feira, dia 18 de dezembro, na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, de uma homenagem a Luiz Paulo Horta, jornalista, crítico musical e membro da Academia Brasileira de Letras – ABL,  falecido em agosto deste ano. O espaço do Teatro de Câmara recebeu o nome de Esplanada das Artes Luiz Paulo Horta e uma placa foi descerrada pelo prefeito para celebrar.

 

Durante todo o mês de dezembro, a Prefeitura do Rio realizou um tributo ao imortal, com uma programação especial voltada para a música, sua grande paixão. Desde o dia 04 de dezembro, o espaço foi palco de apresentações do Coral de vozes dos Meninos do Rio, da Orquestra da Casa de Artes de Paquetá, da Orquestra de Sopro da Pro Arte, do Concerto Verdi – 200 anos do compositor, coro e solistas da Associação de Canto Coral, e da Pastoril da Matriz – Natal Brasileiro.

 

 

– O Luiz Paulo foi a pessoa que mais me cobrou para concluir a Cidade das Artes, sempre chamando atenção para a importância desse espaço pela sua centralidade, por ser muito perto das zonas Norte e Oeste, e por ser um lugar onde podemos levar a música e a arte para todos os cariocas de maneira igual. O Luiz Paulo era uma patrulha sobre todos nós, tomadores de decisão, quando se falava em música e arte, ele não permitia que os governantes nos esquecêssemos da importância de investir e de fazer funcionar bem equipamentos com essa qualidade. Por isso, essa homenagem é tão justa – disse Paes.

 

 

O acordeonista, pianista, compositor e arranjador Kiko Horta, filho do jornalista, e seu grupo abriram a cerimônia com um show de chorinho. A apresentação contou com obras dos três maiores arcodeonistas brasileiros (Sivuca, Dominguinhos e Luiz Gonzaga), dos mestres do gênero Pixinguinha e Jacob do Bandolim, além de músicas autorais.

 

 

Bastante emocionado, Kiko Horta comentou a homenagem ao pai: – Hoje é um dia muito especial. Pensamos numa homenagem e num projeto que tivesse o perfume do meu pai. Ele era um apaixonado pela música em geral, mas principalmente pela beleza e força da música brasileira e pela formação de novas plateias. Acho que um espaço como esse tem que funcionar assim, com muita qualidade, muito bem equipado, com bom som, boa luz, boa sala. Agradeço à prefeitura a oportunidade de reunir a música popular e a clássica, como meu pai sempre batalhou e gostou.

 

 

Um dos melhores amigos de Luiz Paulo Horta, o jornalista Ancelmo Gois também fez referência ao “companheiro de todas as horas”:  – Essa homenagem da prefeitura é mais que merecida. O Luiz era um profissional sintonizado não só com o Rio, mas com o mundo, e era pregador da música clássica, da popular, da boa música. O Rio tem pouco espaço para celebrar isso e ele era um defensor de a cidade ter espaços dedicados à música. Por isso, fico feliz pelo seu nome batizar um espaço na Cidade das Artes.

 

 

Também participaram da cerimônia o presidente da Fundação Cidade das Artes, Emílio Kalil, a viúva do jornalista, Ana Cristina Reis, além de outros familiares e amigos de Luiz Paulo Horta.

0 comentários