Pilates e memória

O método ganha espaço na medicina e ajuda na prevenção de doenças como o Alzheimer
 

Um dos desafios de envelhecer bem é manter a perda de memória estabilizada em um corpo forte e saudável. Estudos comprovam que os exercícios resistidos melhoram o desempenho da memória, além de promover o aumento da força muscular. Criado em 1923 por Joseph Pilates, a prática do pilates é capaz de retardar o envelhecimento e prevenir diversas doenças, inclusive o Alzheimer.

 

 

De acordo com a coordenadora do Studio Pilates Authentic, Daniela Pedrosa, a prática do pilates exige do aluno a realização de diversas tarefas ao mesmo tempo, e age em uma área vital do cérebro para o aprendizado e a memória, o hipocampo. “Com o trabalho de respiração, manutenção da postura, equilíbrio e contração de vários grupos musculares ao mesmo tempo, o Pilates exige o treino da memória o tempo todo”, explica. “Eles melhoram não só os aspectos físicos como força, flexibilidade e capacidades respiratórias, mas também as funções cognitivas, através da reorganização cerebral”, afirma Daniela, que especialista no método autêntico.

 

 

Exercícios que incluem coordenação motora, assim como sequencias de alguns exercícios ajudam a melhorar o equilíbrio e a memória.

 

Studio Pilates Authentic
Avenida Érico Veríssimo, 970, sala 304 – Barra da Tijuca
Telefone: (21) 3518-8694
E-mail: pilates.jardim.oceanico@gmail.com

0 comentários