PLANTÃO BARRA: Autoridades discutem solução viária para o trânsito na Barra da Tijuca

O encontro contou com a participação do vice-governador Luiz Fernando Pezão
 

Por Joici Souza

Foi realizado na noite de quinta-feira (09/01), na sede da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca (CCBT), um encontro para debater a solução viária para o trânsito de uma das regiões que mais cresce na cidade, a Barra. Na ocasião autoridades da prefeitura e do governo do estado explicaram para os presentes as medidas que estão sendo tomadas para a questão da mobilidade na região.

Pezao-no-CCBT

 

Fizeram parte da mesa o vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, o secretário municipal da Casa Civil, Pedro Paulo, o subprefeito da região, Tiago Mohamed, o subsecretário estadual do ambiente, Jorge da Hora, o biólogo David Zee, entre outros. A mediação do encontro foi realizada pelo presidente do CCBT, Delair Drumbrosck.

 

O principal assunto em pauta foi a reivindicação do metrô chegar até o Terminal Alvorada, vários representantes de associações e organizações do bairro já se uniram para fazer um protesto pedindo dessa mudança no plano atual, pois o previsto é que ele chegue até o Jardim Oceânico.

 Encontro-CCBT-mobilidade-na-Barra

Para reforçar esse pedido, foi entregue ao secretário da Casa Civil um documento que solicita algumas medidas consideradas imprescindíveis para a população da Barra, como “a execução das obras dos ‘prometidos’ mergulhões na Avenida das Américas nos pontos próximo ao quilômetro 1 e ao Barrashopping, conclusão da Avenida Via Parque ligando ao condado de cascais até a Vila do Pan”, entre outras (veja o documento na íntegra).

 Documento-Prefeitura-CCBT

Outro documento também foi entregue ao Governo do Estado pedindo que a linha 4 do metrô seja levada até o terminal Alvorada, e não até o Jardim Oceânico (veja documento na íntegra).

 Documento-Governo-CCBT

O encontro começou com a participação do subsecretário estadual do ambiente, Jorge da Hora, que falou sobre a demora na despoluição das lagoas da região, vale lembrar que uma das soluções propostas pelas associações de moradores é o transporte pelas lagoas.

 

“O principal motivo pela demora é que as licitações ainda estão sendo revistas pela justiça, existe uma briga judicial, quero ressaltar que não nos importamos quem será o vencedor, o que interessa é conseguirmos continuar com o processo, e assim que essa questão for resolvida é o que vai acontecer”, disse.

 

Em seguida o subprefeito da Barra da Tijuca e adjacências falou sobre a importância desse tipo de encontro: ” É sempre um prazer participar desses encontros e só tenho a agradecer a oportunidade”, falou.

 

Pedro Paulo falou para os presentes da importância dos BRTs para manter o trânsito equilibrado na região, já que segundo ele, o metrô e os BRTs são sistemas complementares. “Conheço muito bem os problemas dessa área, pois além de ser deputado e secretário, também sou morador. Quero deixar claro que não temos nada contra o metrô ir até o Alvorada, mas temos diversos limites no momento, entre eles a questão do orçamento. Temos que pensar no futuro, quando o metrô chegar nessa área, os BRTs serão sistemas complementares”, explicou.

 

O secretário convidou o engenheiro responsável pelas obras do BRT, Eduardo Fagundes, para explicar como serão as estações que irão fazer parte do trecho Alvorada x Jardim Oceânico, 5km de extensão. Ambos ressaltaram que cerca de 80% dos ônibus que circulam atualmente nessa linha serão retirados, para fazer o trânsito fluir melhor.

 

Em seguida foi a vez do vice-governador Pezão explicar a posição do Governo do Estado:
“É importante lembrar que antes o Estado não tinha como se comprometer com esse tipo de obras, pois estava muito endividado e não conseguia. Para trazer o metrô na Barra tivemos que enfrentar várias dificuldades, inclusive a demagogia política que não queria que a obra acontecesse. Diziam que estávamos beneficiando os ricos e esquecendo dos pobres. Investimos R$ 9 milhões de reais para que o projeto saísse do papel. Estamos priorizando o que antes não era levado em consideração. O legado que queremos deixar é o projeto de levar o metrô ligando Gávea x Carioca e Jardim Oceânico x Recreio, e temos certeza que esses projetos estarão prontos para serem lançados o edital com o nosso governo, afinal sem projeto nada acontece”, disse Pezão.

 

Ele falou ainda que o atual governo está tirando “sonhos do papel”, como o Arco Metropolitano, que foi pensando nos anos 70 e ressaltou a importância da parceria entre prefeitura e governo.

 

“É importante a prefeitura entrar e ajudar nas obras do metrô, nós assumidos esse compromisso e vamos sem dúvida debater e discutir com vocês essas alternativas”, afirmou.

 

0 comentários